quarta-feira, 29 de julho de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Quadrinha de seis (Sextinha ou sextilha?) que deixa a gente sorumbática).
Foi com muita presteza
Com prestimosidade
Que ela repudiou
Minha atropelada afoiteza
E, de vez, descartou
A minha enaltecida virilidade.
Constatação II
É comum acontecer no futebol que um time ataca todo o tempo, mas não conseguir fazer o colimado e tão almejado gol. E, pior ainda, acaba levando um gol do adversário que foi atacado todo o tempo. Os locutores esportivos usam a expressão: “Quem não faz, leva”. Já com relação aos deputados e senadores a expressão absolutamente não é válida. Em certos países – na maioria deles – eles não fazem e levam. Uma nota elevada...
Constatação III
A e-Paraná, antigamente, denominada Rádio Educativa, tem divulgado a música brasileira onde, além de autores paranaenses, apresenta os pesos pesados de compositores, intérpretes, músicos, apenas citando alguns poucos, como Ataulfo Alves, Pixinguinha, Cartola, Dorival Caymmi, Adoniram Barbosa, Abel Ferreira, Jacó do Bandolim, Paulinho da Viola, Altamiro Carrilho, Valdir Azevedo, Noel Rosa, Vadico, Roberto Ribeiro, Silvio Caldas, Nelson Gonçalves, Orlando Silva, Carlos Galhardo, Chico Buarque de Holanda, Sergio Bittencourt, Agostinho dos Santos, Toquinho, Martinho da Vila, Gilberto Gil e do lado feminino Maysa, Elizete Cardoso; Dolores Duran, Chiquinha Gonzaga, Aracy de Almeida, Bety Carvalho, Alcyone. A Rádio e-Paraná, felizmente, ressuscitou a programação de música clássica, que havia sido, numa época, praticamente cortada pela estatal emissora. Na realidade, era tocada, somente, às 22 horas, o que, para muitos, não era suficiente. Ainda mais para àqueles que dormem cedo. Falta, agora, retirar os interesses políticos dos governantes que a utilizam como propaganda do governo. Tenho expectantemente, dito!
Constatação IV (Profeta do inverso?).
O obcecado
Ficou inicialmente,
Embasbacado,
Encantado
De ser, pela escritora,
Decantado,
Em prosa e verso.
Ela, renomada autora,
No final do texto,
Pra ele, indubitavelmente,
Controverso,
Chamou-o, no contexto,
Sem algum pretexto,
De profeta
Do inverso;
De renomado,
De célebre pateta,
Tão-somente.
Coitado!
Constatação V
Não se pode confundir obcecado com obsessivo, até porque o primeiro só pensa naquilo; já o obsessivo é quem persegue os seus objetivos, podendo, eventualmente, serem os mesmos do obcecado, mas não necessariamente. Elementar...
Constatação VI (E já que falamos no personagem...)
Sentiu o obcecado
Delas, um descaso.
Passou a ser chamado
De água-morna
E entrou no ocaso,
Num baita ostracismo,
Num baixo astral,
Com a baixa da “moral”
E também num pessimismo
Cabal,
Existencial.
Aí ao consumo de ostras apelou
E de ovos de codorna;
Viagra, cialis e levitra tomou;
Chá de catuaba adotou.
Com o tempo melhorou
Mas nunca, jamais,
O desempenho ficou como os demais
Quando tinha vinte e cinco ou trinta anos
Sem que houvessem ocorrido desenganos
E de ter ficado desapontado.
Coitado!
Constatação VII
Na encruzilhada
Da p. da vida,
Sem melhor saída
Depois de muito pensar,
Ele optou
Com a malvada
Da sogra morar.
Solenemente
Se ferrou.
Acabou
Traumatizado,
Agoniado,
Ulcerado,
Finalmente
Hospitalizado,
Por estar
Esgotado
Tão-somente.
Coitado!
Constatação VIII
Segundo um grande amigo meu, torcedor do Coritiba, quando leu no site da Globo “Melhores momentos de Figueirense e Coritiba, comentou melancólico: “Creio que foi um engano do site. Aquele jogo só teve piores momentos. E para os dois times. Vige!”
Constatação IX
Nos dias de hoje, mais do que nunca, quando se ganha algo de presente, depende dos valores envolvidos, não se pode dizer que “cavalo dado não se olha nos dentes”, porque, por exemplo, no caso de presente de empreiteiros, pode-se afirmar, sem medo de errar, que aí tem dente de coelho...
Constatação X (De diálogos conjugais eufemisticamente acerbos).
Mulher vociferando: “Você nunca me disse que eu sou inteligente, como efetivamente eu sou”.
Marido, calmo: “Você já deve ter percebido, depois de tantos anos de convivência, que eu não costumo faltar com a verdade. Tampouco, sou um cara hipócrita”.
Mulher, com os olhos faiscantes: (Censurado. Rumorejando não possui o hábito de publicar palavrões).
Constatação XI (Teoria da Relatividade para principiantes, enaltecedora).
É muito melhor torcer pelo Paraná, mesmo que esteja disputando o Campeonato Nacional B do que torcer por qualquer outro time esteja onde estiver em qualquer outro lugar do mundo.
Constatação XII
Promessa de político é que nem fantasma. Jamais alguém acredita.
Constatação XIII (Quadrinha dedicada aos interesseiros e interesseiras).
Casar por interesse só
Precisa ter muita bossa
É entrar num forrobodó*
É uma patifaria da grossa.
* Forrobodó = “confusão, tumulto, balbúrdia; briga” (Houaiss).
Constatação XIV
Tomou
Uma garapa
Com gosto esquisito
E para o vendedor,
Velho conhecido, falou,
Com certo clamor:
“Parece uma zurrapa*
Mas será, ó Benedito?!”
*Zurrapa = “qualquer bebida de mau sabor; de má qualidade, de baixa categoria; ordinário (Houaiss).
Constatação XV (Dúvida não necessariamente crucial).
Tentar um diálogo com um cordato é estabelecer um monólogo?
Constatação XVI
Quando o obcecado leu na mídia que viagra e congêneres podem causar surdez, do alto de sua sapiência ponderou filosoficamente a sua teoria da relatividade: “É melhor ser surdo do que ter disfunção eretil, no caso de ser rico; ou broxa, se for pobre”.
 Constatação XVII (Isso, quando deixam o entrevistado falar).
Duas emissoras no nosso país se caracterizam por informações 24 horas por dia e também de entrevistas. São a CBN, da Rede Globo, e a Band News, do grupo da Rede Bandeirantes. Muitos dos seus entrevistadores misturam as estações, quer dizer o tratamento. O entrevistador se dirige ao entrevistado como o senhor ou a senhora. E lá pelas tantas: “Eu te pergunto”, ao invés de “Eu lhe pergunto”. Péssimos exemplos para os ouvintes e crime contra o pobre, sofrido e indefeso vernáculo.
Constatação XVIII (Quadrinha endereçada a quem de direito).
Falam mal do meu Paraná
É tudo puro despeito
Melhor que ele não há.
Por favor, mais respeito!
Constatação XIX
Não se pode confundir requintada com requentada, até porque uma comida requintada se for requentada deixa de ser requintada. A mesma coisa acontece na política: todo governante que realizou uma razoável administração e é reeleito é comparado com uma bebida requentada já que no segundo mandato deixa de fazer uma administração requintada, como alguns julgam e apregoam que ele fez no primeiro. Tanto que tornam a votar no infeliz, digo em quem nos deixa infeliz. A recíproca não é necessariamente verdadeira. Se num relacionamento o cidadão dá uma requentada na mulher, que andava meio fria, através de uma viagem para uma praia deserta, daquela que dá pra ficar pelado sem que ninguém veja, ou onde se pratica o naturismo, fatalmente deverá advir uma reciclagem no envolvimento, tornando a relação, se não requintada, ao menos factível, exequível, possível, praticável, realizável. Para quem não tá lá essas coisas nas finanças, o que neste momento a situação econômica do nosso sofrido país está vivenciando, um motel daqueles que, quer se queira ou não, tudo induz a um final feliz poderá ajudar a se obter o desiderato almejado e a gente poderá cantar o epinício* do dever cumprido...
*Epinício = “hino triunfal; poema ou cântico feito para comemorar uma vitória ou qualquer obra em que se manifesta o regozijo por um acontecimento” (Houaiss).
Constatação XX
Deu certa vez na mídia após um feriadão: “Estradas paulistas têm menos mortes, diz PM. Durante os quatro dias de feriado prolongado, São Paulo registra 976 acidentes, com 36 mortos e 539 feridos”. Com esse número de mortes e feridos lamentáveis, fica evidenciado, através da Teoria da Relatividade para principiantes, que a irresponsabilidade dos motoristas, principal causa dos acidentes nas estradas, continua vigendo. Tava na hora de tirar a carteira de Habilitação de muita gente, proibindo que voltem a dirigir, como a nova Lei que acabou de ser implantada.
Constatação XXI (Dúvida não necessariamente crucial, via pseudo-haicai).
Foi a barata
Que disse pro barato:
“Aqui, você é persona non grata”?
Constatação XXII
O lucro do banqueiro é diretamente proporcional à tarifa dos bancos e também diretamente proporcional às filas dos usuários porque eles não contratam funcionários. Portanto, inversamente proporcional ao número de atendentes e caixas. E viva “nóis”, quer dizer, eles, os banqueiros.
Constatação XXIII (De informações úteis).
Aviso aos tomadores de chimarrão: Na feira de produtos orgânicos, que se realiza também aos sábados, no Passeio Público, cá em Curitiba, é possível encontrar erva-mate cultivada em sistema agro florestal. Não vem com mistura; é farinha, digo, erva de outro saco. Respeitosamente recomendo. E, claro, outros produtos desse jaez também.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico amealha bens; pobre, dívidas.
Constatação II
Rico, com auxilio de uma máquina de calcular financeira, faz as contas do que é mais vantajoso: pagar à vista ou, com juros, à prestação; pobre não tem opção.
Constatação III
Rico é obliterado* de algum lugar (emprego, colaboração com jornal, etc.); pobre, é “ponhado” pra fora.
*Obliterado = 1. fazer desaparecer ou desaparecer pouco a pouco; apagar(-se); 2. fazer sair ou fazer deixar de existir; destruir, eliminar, suprimir (Houaiss).
Constatação IV
Rico é ambíguo; pobre, é atrapalhado.
Constatação V
Rico é eventualmente cordato; pobre é sempre maria-vai-com-as-outras.
Constatação VI
Rico assoma; pobre, invade.
Constatação VII
Rico se apaixona; pobre, se acostuma.
Constatação VIII
Rico fica inadimplente; pobre vai pro Seproc.
Constatação IX
Candidato rico pratica a "captação ilícita de sufrágio", mais conhecido por compra de votos; candidato pobre tá ferrado.
Constatação X
Rico, ultimamente, tem sido preso; pobre, nem falar...


quarta-feira, 22 de julho de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Essas tomadas de posição do presidente da Câmara, senhor Eduardo Cunha e do Senado senhor Renan Calheiros contra a presidente da República Dilma Rousseff faz com que a gente volte a acreditar que Deus é brasileiro ou que Ele reassumiu a sua cidadania tupiniquim. Afinal, quando certos tipos de pessoas ficam todos do mesmo lado quem se ferra somos todos nós, como tem sido dado a constatar. Isso tudo faz lembrar o filme francês Borsalino quando o chefe de polícia vê que duas facções estavam brigando na disputa da mesma vantagem, evidentemente, contra a lei. Proclama que “nesse caso a polícia não interfere, deixando que eles se matem entre eles”...
Constatação II
E como ponderava com o seu médico, que havia dito que ele estava bem, aquele idoso:
“Doutor, data vênia como dizem nossos juristas, mas eu não concordo com o senhor. Inclusive acho que vou morrer de falência múltipla dos órgãos, como eu costumo constatar no jornal na sessão de Obituários. Afinal, um dos meus órgãos já de há muito faleceu”...
Constatação III
Fui defender minha liderança
Dentro do meu doce lar
Como após a tempestade
Sobrevém a bonança
A também doce cara-metade
Mandou, sem mais delongas,
Xingando-me de xongas*
Eu, incontinente, pirar**.
*Xongas = “coisa nenhuma, nada” (Houaiss).
** Pirar = “Retirar-se discretamente, cair fora, dar o pira” (Houaiss).
Constatação IV
Em certos países, os assaltantes matam como se fosse a coisa mais corriqueira do mundo. Pelo jeito, pra quem não se importa com o fato, também...
Constatação V
Deu na mídia: “IBGE: mortalidade infantil caiu 64%”. Rumorejando: Imortalidade de deputados e senadores não caiu. Sempre foi de 0%. Salvo rarísssimas (assim mesmo, com três esses para enfatizar o fato...) exceções, alguém se lembra de algum deputado e/ou senador que mereça os encômios da nação?
Constatação VI (“Poesia” do cotidiano).
Ponderou com a patroa
Que a comida não estava boa.
“Vai comer no boteco da esquina
Lá o ‘Jesus me chama’
É iguaria fina,
Recheada com salmonela,
Cozida numa suja panela.
Aí, você cai de cama
E, mais depois, finado,
Nunca mais reclama
Do meu suculento
Cardápio de ensopado
Preparado com esmero
Em fogo lento
E sem exagero
Do meu preferido tempero”.
Coitado!
Constatação VII
Não se pode confundir desperto com esperto até porque tem que ser esperto para adormecer, quer dizer não desperto quando se ouvem discurso de político e/ou as empulhações em época do horário gratuito. E, que fique bem claro, de todos os partidos, sem exceção. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho democraticamente dito.
Constatação VIII (De diálogos um tanto burocráticos e um tanto rimados).
-“Quero que o senhor me apronte
O seu atestado de residência”.
-“A senhora tenha paciência.
Ainda tô morando debaixo da ponte”.
Constatação IX
A pedido do meu dentista
Fiz uma panorâmica,
Um baita de um raio-x.
Eu não sou alarmista
Mas a chapa revelada
De vermelho estava manchada
E me deixou assaz infeliz:
Mostrou dois dentes de cerâmica,
Pontiagudos, assim como, também,
Os que lembram vampiros e Frankenstein.
Constatação X
“Só um segundo”,
Ela falou
Ao telefone.
Ele esperou
Sem estar insone
Mas, com a demora
E o adiantado
Da hora,
Caiu num sono profundo
Quando acordou
Só escutou
Ti... ti... ti...
Aí, incomodado
Pôs-se a pensar
Num raio, não o do círculo,
Nem o da circunferência,
Mas o “que a parta”,
Já que ela está de mim farta.
E se pôs a cantar,
Da vida, fulo,
Sem muita paciência,
O bolero “Sem ti”.
E se sentindo no abandono
Também um pobre dum mono,
Perdeu totalmente o sono.
“Vou pôr os pingos no i”,
Pensou todo amuado.
Coitado!
Constatação XI (Subsídios para uma nova versão de uma velha marchinha de carnaval).
Passou pela minha moleira,
No fim duma segunda-feira
Qual um vento numa veneta*,
Que o pirata da perna de pau
Absolutamente não é perneta
Tampouco, tem cara de mau.
*Veneta = “impulso repentino”.
Constatação XII
Não se pode confundir balela com baleia, principalmente quando alguém conta que montou numa baleia e com o guarda-chuva aberto saiu velejando por mares nunca antes navegados. Não acreditem porque é uma balela. Afinal, não tem guarda-chuva que resista ao vento, sem virar no avesso, provocado por uma baleia singrando o oceano na velocidade que ela normalmente costuma...
Constatação XIII
Deu na mídia: “Um em cada quatro casais no Japão não faz sexo, diz pesquisa”. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Salvo no lamentável caso de se generalizar pelo mundo afora, virando epidemia, endemia, pandemia, coisas assim desse malfadado jaez...
Constatação XIV
Amor, teu nome é ternura;
Desamor, teu nome é agrura.
Benquerença, teu nome é doçura.
Desavença, teu nome é brochura.
Constatação XV (Coitado!).
Ela sempre cerzia
As meias do marido.
O dedão, um dia,
Também ficou cerzido.
Constatação XVI (Dúvida crucial, via pseudo-haicai).
Dela, a terrível vendeta
Foi exagerar na dose
Da pimenta malagueta?
Constatação XVII (De demonstrações de “afeto”, ouvidas de um cara, dizendo pra uma viúva, inspiradas no tratamento entre os meninos em Capitães de Areia do mestre Jorge Amado).
“Se você tem conversado com o teu marido, durante as sessões espíritas que você costuma frequentar, diga pra ele que ele é um grande filho daquilo por ter nos abandonado tão cedo. Não se esqueça de dar o meu recado, viu!”
Constatação XVIII (Passível de mal-entendido e/ou má interpretação).
“Vá até lá, ali no pote que partiu”.
Constatação XIX
Não se pode confundir engraçado com engraxado, até porque ninguém achou engraçado deputado, ou senador ser engraxado com o mensalão, petrolão, BNDESÃO e outros tantos ãos ou ões que ainda deverão aparecer. Exceto, naturalmente o próprio deputado, ou o próprio senador. A recíproca pode ser verdadeira como no caso do cara querer dar uma de mecânico e se meter a arrumar o carro e ficar com o rosto sujo de graxa e a mulher achar graça. E, ele, ficar sem graça, com cara de cachorro que lambeu graxa.
Constatação XX
E já que falamos no assunto, tem deputado e/ou senador que consegue explicar o inexplicável e, pior, consegue convencer alguns inocentes anjos não incrédulos.
Constatação XXI
Deu na mídia: “Eddie Murphy é o pai da filha de Spice Girl”. Taí uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade...
Constatação XXII (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor o atacante do nosso time fazer um golaço do que o goleiro do nosso time engolir um frangaço.
Constatação XXIII
Não se deve confundir caricatura com caradura, muito embora os cartunistas sempre estejam fazendo caricatura de tanto caradura que viceja por este nosso sofrido país. A recíproca pode até ser verdadeira, mas Rumorejando admite que jamais conheceu caradura se dedicando a fazer caricatura. Podem até falsificar nota de R$50,00 reais, como, por exemplo, mostrado no filme O homem que copiava, mas caricatura...
Constatação XXIV
O presidente* pegou o palimpsesto** do seu antecessor e escreveu uma nova lei que beneficiava a si próprio e aos seus amigos e parentes.
*Não ficou muito claro se foi o presidente da República, ou do Senado, ou da Câmara dos Deputados, ou ainda todos eles. Tampouco em que país tal ocorreu. Se alguém souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
** Palimpsesto = “papiro ou pergaminho cujo texto primitivo foi raspado, para dar lugar a outro”.
Constatação XXV
O Oswaldo,
Depois de outras e umas,
Chegou ao doce lar,
Pisando leve,
Quais penas e plumas
Se apoiando no espaldar
Das cadeiras
E nos caixilhos das janelas.
De cara, virou
Uma delas.
“Você é um marido
Ribaldo”*,
Vituperou
A coitada da mulher,
Acordando com o barulho,
Ferida no seu orgulho.
“Faz-se mister
Que você saia já daqui”,
Ela gritou
Desarticulada.
“Vá dormir ali
No banco da praça
Seu desalmado,
Você me dá engulho,
Você só me trouxe desgraça.
Coitada!
Coitado!
Coitado?
*Ribaldo = “que ou aquele que usa de fraude; velhaco, patife”. (Houaiss).
Constatação XXVI (Dúvida crucial via pseudo-haicai).
Destempero
Para um ditador
Não é exagero?
Constatação XXVII (De fatos do cotidiano).
Na sala de espera,
Do dentista,
Ou do médico cirurgião,
Portanto de um especialista
Onde fica sentada a enfermeira,
O garoto, mostra sua educação
Pondo os pés na cadeira.
Merece levar um cascudo,
Mas os pais não chamam sua atenção.
“Nosso filho, por ser nosso, pode tudo”.
Sem dúvida, quando crescer será um testudo,
Mais que um pentelho, um pentelhudo,
Ou como diriam nossos hermanos: “un bundudo”.
Constatação XXVIII
“Sou um sujeito atrabiliário*
Quando não faturo horrores”,
Disse o sincero miliardário**
Sem resquícios de falsos pudores.
*Atrabiliário = “que ou aquele que vive tomado pela cólera; irascível” (Houaiss).
**Miliardário = “que ou aquele que possui bilhões, que é riquíssimo” (Houaiss).
Constatação XXIX
Quando o obcecado convencido leu na mídia que “Estudo sugere que mulheres são mais espertas na paquera, já que os homens têm mais dificuldade em identificar sinais não-verbais na hora da sedução”, deu um sorriso de mofa, de escárnio, de superioridade e proclamou: “Comigo não acontece isso. Todas elas, sem exceção, sempre querem me seduzir. E, claro, conseguem”.
Constatação XXX (Passível de mal-entendido).
Parabéns Emengardino pelo seu desempenho com a Escolástica.
Constatação XXXI
O meu time, o Paraná, esses dias, ganhou de um time pelo placar de 4 X 1. “Quem não acredita em milagres, não é realista”, como disse, certa vez, o então ministro de Israel David Bem Gurion. Vige!

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é coadjuvante; pobre, é cúmplice.
Constatação II
Rico infere; pobre, inventa.
Constatação III
Rico da sugestão pertinente; pobre, dá palpite errado.
Constatação IV
Rico tem filhos traquinas; pobre, mal-educados.
Constatação V
Rico é bem-intencionado; pobre, é faccioso.
Constatação VI
Rico pondera; pobre, é leviano.
Constatação VII
Rico faz acordo; pobre, conluio*.
*Conluio = “Cumplicidade para prejudicar terceiro(s); colusão, trama; ajuste maléfico” (Houaiss).
Constatação VIII
Rico materializa lindos sonhos; pobre, acumula pesadelos medonhos.
Constatação IX
Rico é sincero; pobre é de invencionice.
Constatação X
Rico recrimina; pobre, leva bronca.


quarta-feira, 15 de julho de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (Recado gratuito aos jovens).
Livro não morde. Podem pegar para ler.
Constatação II (Aparentemente paradoxal)
Ela tinha uma face radiante, olhos brilhantes e uma antipatia irradiante.
Constatação III
Não se pode confundir o Tratado de Latrão com o tratado de ladrão até porque o Vaticano, que é o menor em extensão territorial do mundo, dotado de apenas um quilometro quadrado, ficou, depois do Tratado com o governo da Italia, soberano, neutro e inviolável e governado pelo papa. “Para aceitar o reconhecimento do novo Estado, a Igreja Católica abriu mão dos territórios que possuía desde a Idade Média e reconheceu Roma como a legítima capital da Itália”. Como se pode constatar tudo foi negociado. Ninguém roubou ninguém, ao contrário do que vem acontecendo em certos países.
Constatação IV
Deu na mídia: Inacreditável, Evo Morales "presenteia" o Papa Francisco com um crucifixo em formato de foice e martelo! Muita impropriedade e desrespeito de Morales para os cristãos! O Papa deixou o “presente” na Bolivia. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que, mal comparando seria algo semelhante como a Orquestra Sinfônica da Russia se apresentar na França e colocar no programa a 1812 de Piotr Ilitch Tchaikovsky. Vige!
Constatação V (Ah, esse nosso vernáculo. Com a participação, imprescindível, do Dicionário Houaiss).
Depois de pechar [“dar ou receber um encontrão; abalroar(-se), chocar(-se)”] com o meu carro a loiraça teve a coragem de pechar (“pedir dinheiro a”) minha pobre, inculpável e inocente pessoa para que eu pagasse os prejuízos dos dois carros. Que pechado, digo, que pecado!...
Constatação VI
Um dos mais famosos advogados de Curitiba, que este assim chamado escriba considera como irmão, ainda que ignorando se a recíproca é verdadeira, mandou confeccionar no pé de papel de carta da sua pessoa física mais ou menos os seguintes dizeres: “Fulano de Tal desde o ano tal sem interrupção”. Há muitos anos atrás um médico também famoso de Curitiba, ao dar entrada no hospital para atender os seus doentes fez uma parada cardíaca. Os médicos que lá se encontravam, aplicaram massagem cardíaca com intensidade tal que chegou a quebrar uma de suas costelas e ele, digamos, voltou. Evidentemente, com a costela quebrada, se deu conta do que havia acontecido e, inclusive, achou graça no fato de que havia morrido e ressuscitado. Este médico, como muitos casos semelhantes, não poderia escrever o que o advogado escreveu...
Constatação VII
Não se pode confundir cara falso com cadafalso, muito embora nossos políticos, com suas promessas compridas e não cumpridas se enquadram no primeiro caso, deixando os eleitores no segundo, isto é, com a corda no pescoço. Informaremos, e não é apenas uma vã promessa igual à retro mencionada, sobre a recíproca em época oportuna. Aguardem, pois.
Constatação VIII
Na calada
Da noite
Mesmo com medo
Do açoite
Da mulher,
Uma fera,
Uma megera,
Ele foi até a geladeira
E sem um ruído qualquer
Comeu toda a salada,
De pepino azedo.
Foi a maior asneira.
Deu-lhe uma baita azia
Que há muito não sentia.
Que o deixou estuporado
Até noutro dia.
Coitado!
Constatação IX
O septuagenário, quase octogenário, consequentemente ex-sexagenário, ex-quinquagenário, etc, mesmo com essa idade, nunca se considerou um velho (rico é idoso; pobre, é “veio”), até a hora que seu médico prescreveu um remédio, chamado gerioton que é essencialmente constituído de ginseng. Caiu do cavalo, digo, em si. Coitado!
Constatação X
Deu certa vez na mídia: “Ônibus do Corinthians é pintado de roxo”. Como já disse o ex-presidente Fernando Color de Mello, de triste memória: “Tem que ter certos negócios roxo”. Será que ele também é corintiano como o penúltimo presidente da República de memória triste? Quem souber a resposta, por favor, não se comunicar que este assim chamado escriba, também corintiano sofredor, não tem interesse algum em saber pra quem o ex-presidente torce. Obrigado!
Constatação XI
Não se pode confundir calor com colar, muito embora aquela dondoca, quando se deu conta que ninguém havia falado do seu colar de pérolas – verdadeiras, diga-se de passagem – que havia custado uma fortuna, disse no meio do chá filantrópico: “Com este aquecimento global, está tão forte o calor que eu vou ter que tirar o meu novo colar”. A recíproca para esses casos ostentativos-arriscados pode até ser verdadeira. Desde que não ocorra numa praia, no verão, quando todo mundo usa roupas mais despojadas. A alguns afetos ao naturismo, segundo os moralistas, despojadas até demais...
Constatação XII (3ª Idade).
O septuagenário, nada a ver com o citado anteriormente, ex-sexagenário, ex-quinquagenário, etc. esquece-se de soltar totalmente o freio de mão que meio puxado e, depois, conclui que o motor do carro não tá puxando o suficiente. Vige!
Constatação XIII
Mulher, certa vez, lendo jornal: “Praxedes, aqui tá escrito que um médico removeu duas manchas da têmpora esquerda do presidente norte-americano, George W. Bush”.
Marido, assistindo futebol na televisão sem desviar os olhos: “E ele vai colocar elas aonde?”
Constatação XIV (De uma dúvida crucial).
Por que será que as mulheres gostam tanto de buzina, já que elas costumam buzinar não só no trânsito como também no ouvido dos seus respectivos maridos?
Constatação XV (Ah, esse nosso vernáculo).
O esforço dela para encher o balde furado foi debalde?
Constatação XVI
Deu na mídia: “Países mais felizes têm menos problemas de pressão”. Data vênia, como diriam nossos juristas e, no caso, talvez os médicos também, mas Rumorejando acha, então que, em nosso país, pelo menos no carnaval, a pressão do pessoal deveria baixar e, no entanto, com aquela escassez de roupas, ela sobe a níveis assustadores... Se alguém souber explicar o fenômeno, por favor, cartas ao escriba, via e-mail ou outro meio, (josezokner@rimasprimas.com.br). Obrigado.
Constatação XVII (Quadrinha para ser recitada rememorando velhos relacionamentos).
Tinha uma pele esbranquiçada
De tanto tomar purgante
A todo e qualquer instante
A base de limonada.
(Coitada!)
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada depois que acabar o foro privilegiado, aposentadoria com poucos anos de exercer um cargo, voto secreto, concessão do governo para os ditos de rádio e televisão, trabalho de poucos dias da semana, salário compatível com quem ganha salário mínimo, fim dos privilégios, etc. etc.)
Senador, governante ou deputado
Têm o mesmo comportamento
Deixam o povo inconformado
De tanta falcatrua a todo o momento.
Constatação XIX (Quadrinha para ser recitada numa reunião importante com a presença de garotas, preferencialmente, adolescentes).
Se elas não fazem, de casa, a lição.
Tampouco, vão para o colégio
Arriscam casar com um toleirão,*
Inclusive perdendo algum privilégio.
*Toleirão = “que ou aquele que é muito tolo; pateta, palerma” (Houaiss).
Constatação XX (Quadrinha para determinados arrependimentos).
“Desfeito está nosso trato”,
Disse ela para o namorado,
Que o motel já havia pagado,
Deixando ele obstupefato*.
*Obstupefato = “tomado de espanto, de surpresa; pasmado, estupefato (Houaiss).
Constatação XXI
Pelo corpo inteiro
Passou um perfume barato,
Querendo a mina impressionar
“Você tem que ir, de fato,
Sem ser retardado,
Sem se atrasar
Correndo, já, agora, ao banheiro.
Pra desse e do seu natural
Como sempre, habitual,
Aliás, tradicional
Mau-cheiro,
Se separar”.
Coitado!
Constatação XXII
Quando viu a mulher
“Nos braços dum qualquer”.
Ficou atoleimado
Aplacou seus estupores
Com pouco desvelo,
Com remédio contra as dores
De corno e de cotovelo.
Coitado!
Constatação XXIII (Ah, esse nosso vernáculo).
E como dizia aquele banqueiro para o filho de 40 anos que só vivia “mordendo” o pai: “Eu juro que te esconjuro se você não me pagar com juro”.

COISAS QUE PRECISAM SER INVENTADAS.
-Método de ensino de matemática de modo que todos, sem exceção, aprendam e, consequentemente, ninguém, jamais em tempo algum, seja reprovado.
-Leis de Mercado que não descambem para a selvageria.
-Leis econômicas que eliminem, de vez, a pobreza, através de programas que reduzam substancialmente a diferença entre ricos e pobres.
-Método democrático que dispense os inócuos Congressos. Se não for possível,     deputados e senadores com vergonha na cara.
 -Cavalheiros distintos; damas, que se comportem como tal.
-Reputação ilibada.
-Ufanismo e vaidade que não seja imbecil.
-Jovens que não se orgulhem de não ter lido um livro sequer em todas suas vidas.
-Governantes não demagogos e operantes.
-Ministros que, em tempo algum, não falem incongruências do tipo “relaxe e goze”, “Não existe caos aéreo. É que houve aumento de passageiros” e coisas desse jaez.
-Mídia, de qualquer espécie, que não bisbilhote a vida alheia e se atenha, a ajudar na resolução dos problemas sociais.
-Relógios, todos de casa, que marquem horas mais cedo, quando a gente chega mais tarde para que não se leve bronca da cara-metade, quando ela der uma espiada pra ver a que horas a gente tá chegando.
-Abolição definitiva da demagogia.
-Demandas judiciais que recebam um parecer de quem de direito, julgados no Direito, em prazo compatível, isto é, em curto prazo.
-Contador de causos que não fuja dos fatos verdadeiros.
-Jogador de truco que ganhe deste assim chamado escriba, várias vezes campeão do referido jogo (Perdão a imodéstia, leitores).

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico refreia os maus impulsos; pobre dá plena vazão a eles.
Constatação II
Rico determina; pobre, solicita.
Constatação III
Rico admite; pobre, confessa.
Constatação IV
Rico desfruta a vida; pobre, sobrevive.
Constatação V
Rico adverte; pobre, ameaça.
Constatação VI
Rico faz profecias; pobre não tem futuro.
Constatação VII
Rico se apaixona; pobre, convive.
Constatação VIII
Rico tem alergia; pobre, ataque de coceira.
Constatação IX
Rico sente a ausência; pobre se acostuma.
Constatação X
Rico maneja seja lá o que for com perícia; pobre, com estultícia.*
*Estultícia = “atributo, característica do que é ou se apresenta de modo estúpido; tolice, parvoíce, estupidez” (Houaiss).