quarta-feira, 30 de setembro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES
Constatação I
Deu na mídia, mais precisamente naquela que é decente: “STF abre brecha para tirar a Lava Jato das mãos do juiz Sergio Moro”. Data vênia, como diz os nossos juristas – porém, nem todos – Rumorejando chegou a triste conclusão que dependendo da moral vigente e do caso, se mexe, sim, em time que está ganhando...
Constatação II
Especula
O obcecado,
Pra que não a perca,
Se ela
Ficaria fula,
Se desconfiasse
Quando a cerca,
Ele pulasse
Naquela
De apaixonado
De quem só pensasse
Naquilo,
Na base do “fi-lo
Porque qui-lo”.
Que destemperado!
Constatação III (De uma dúvida crucial).
Foram os candidatos a cargos eletivos que, depois de eleitos, deram ensejo à expressão “fica o dito pelo não dito”? Quem souber, por favor, comentários no blog. Obrigado.
Constatação IV
Conseguiu
Um financiamento
Pra fazer um investimento
Num motel,
Em uma cidade
Onde só se via
Mais de um convento
E muita moradia
De piedosa irmandade,
Além de claustro, abadia,
Cenóbio, clausura, freiria,
Onde se aprendia
Obter o paraíso no céu*.
Faliu...
*Não ficou claro se o prometido paraíso no céu era através do que normalmente acontece num motel ou do que era apregoado na região. Quem souber, por favor, etc.
Constatação V (De dramas conjugais).
Ela tinha que admoestar o maridão
Mais de mil vezes até a exaustão*.
*Também não ficou claro se a exaustão era dele, ou dela, ou dos dois. Quem souber, por favor, etc.
Constatação VI
Ela muito educada,
Assaz refinada,
Quando, por um lapso,
Numa festa chique de salão
Proferiu um palavrão,
Envergonhada,
Ruborizada, falou:
-“Não foi um relapso.
Foi um acesso obsoleto
Da minha impiedosa tosse
Que sempre me acosse
E que a gente expectora
Pondo pra fora
Um baita quatrocentão”.
A emenda soou,
Naquele ambiente
De fina gente,
Pior do que o soneto.
Coitada!
Constatação VII (Teoria da Relatividade para principiantes).
Pra quem não é boêmio e sofre de insônia, a noite é eterna; pra quem é noctívago, a noite é uma criança que cresce e se esvai rapidamente.
Constatação VIII
Dissimula
O fantasma,
Contratado
Por um órgão
Governamental.
Aí, resolve aparecer
Na sessão
E pasma
Sem saber
O que fazer
Parece uma mula,
Um marsupial,
Um atoleimado,
O safado.
Coitado!
Coitado?
Constatação IX (De uma dúvida não necessariamente crucial).
O Museu de Cera é um clone sem o sopro da vida?
Constatação X
Não sei o que deu nela.
Se foi teimosia,
Birra,
Aleivosia
Casmurrice,
Renitência.
Caturrice
Obstinação
Ou implicância.
O fato
Que ela
Disse um peremptório não.
“Nem hoje, nem nunca,
Me trazer nessa espelunca”.
Fez-me sentir um gaiato
Quando gentilmente
A convidei
Pra irmos a um motel
Tão-somente.
Aliás, conforme alusão
Insistente dela.
Será que o estopim
Foi porque eu não comandei
Um veuve clicquot
Da safra sessenta-e-dois
No jantar
A vela
Aí, depois,
Ela armou um complô
Contra o coitado de mim?
Constatação XI
Os engenheiros, além de se dedicarem às obras, quando escrevem prosa e/ou poesia passam a recorrer, também, a outra espécie de engenharia: À das palavras...
Constatação XII (“Poeminha”para ser declamado pelo cara – não necessariamente de pau – que pretenda pedir a sua amada em casamento, preferencialmente não na frente dos pais dela).
Meu coração
É como titânio,
Como tório
E urânio
Altamente
Radioativo
Tão-somente.
Vamos evitar
Uma explosão
Acalmar
Esse vulcão
E preparar
Nosso casório
Que eu, muito ativo,
Já adquiri o colchão.
Constatação XIII (De outra dúvida crucial).
O sósia, quando as partes não são vizinhas ou parentes, é um clone por instâncias ou caprichos da mãe natureza?
Constatação XIV
Os cães ladram e as caravanas de ladrões nunca terminam de passar...
Constatação XV (De uma conversa meditabunda e gemebunda).
- “No Karaokê, quando ele esqueceu a letra, ele ficou com cara de quê?”
-“Ficou com cara de quem estava com vontade de sentar”.
-“Ah bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer...”
Constatação XVI
Quando o obcecado convencido, por razões óbvias, sentiu que estava sendo obrigado a desacelerar antes de se aposentar, evidentemente contra a sua vontade, pensou: “Torna-se mister que eu divulgue meu elevado know-how”. Aí resolveu usar o seu espírito – na opinião dele – altamente altruísta, criando uma escola, para a qual deu o título de Centro de Formação de Amantes. Rumorejando ainda não conseguiu saber se houve muitas matrículas. No entanto, em algumas que ocorreram, as alunas, segundo ele, comentaram que adoraram as aulas práticas.
Constatação XVII
Deu na mídia: “Paraná precisa construir pelo menos mais 15 presídios. Apesar de o número de vagas nas penitenciárias paranaenses ter dobrado nos últimos seis anos, o excedente de presos no estado ainda ultrapassa 14 mil”. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando acha que o moto perpétuo está inventado: Quando terminarem os 15 novos presídios estiverem prontos, outros tantos serão necessários. E assim por saecula seculorum, até o fim dos tempos...
Constatação XVIII
Não se pode confundir alegria com alergia, até porque o exemplo clássico é o aparecimento repentino da tua sogra, mostrando alegria por sua – dela – vinda, na tua casa e você começa ficar com manchas por todo o teu corpo, por causa da alergia advinda.
Constatação XIX
Na homilia
Dom Praxedes,
O padre bonachão,
Instou
A família
A não cometer pecado.
Quando terminou
Teve a impressão
De ter falado
Pras paredes.
Coitado!
Constatação XX
A candidata,
Insensata,
Qual um polícia,
Com malícia,
Com irônico jeito
E de modo arbitrário,
Questionou,
A masculinidade
Do adversário.
O eleitor não perdoou
A sua iniquidade
E ela se ferrou.
Bem feito!
Constatação XXI
Na vida,
Talvez bisonha,
Se perde, se ganha.
No futebol,
Chova ou faça sol
Meu time,
Cá da terra
Por mais que se anime
Qualquer partida
Só se ferra.
Constatação XXII
Após a lua-de-mel
Persiste
A sensação
Que não existe
Em um lugar qualquer
Algo assim bom
Como uma mulher,
Ou... um plantel.
Constatação XXIII
Ela nunca quis
Acompanhá-lo ao motel
Por mais que ele insistisse
Pedisse,
Implorasse,
Chorasse,
Abrindo um berreiro.
Um dia, ela topou
Com pressa, ele se deitou
Na cama com dossel
Enquanto ela foi ao banheiro.
Rapidamente, ele quis
Tomar um cialis,
Cujo efeito apregoado
Era de pouco tempo.
Na pressa, o comprimido
Da sua mão escapou
E caiu no tapete, pois o chão
Não era lambris.
Por mais que procurasse
Não mais o encontrou.
Aí, deprimido,
No desespero ficou
Resolveu achar
Um passatempo.
Pegou, do bolso, um baralho
Que de tão velho já estava
Já se encontrava
Totalmente embolorado.
E quando ela despontou,
Toda vaporosa,
Toda charmosa,
Perguntou,
Com os nervos em frangalho:
Qual jogo você sabe jogar?
Coitado!
Constatação XXIV
O carvoeiro,
Com o rosto todo encarvoado,
Chegou em casa
Ficou branco de tão assustado.
E pelos seus olhos passou um nevoeiro:
A filha no colo do namorado,
Quase nua
E ele com as mãos no seu busto,
Com cara de que estivesse no limbo.
Os dois vendo um filme da Nasa
No qual, fumando um cachimbo,
Naquele instante,
O astronauta estava sentado,
Num pedaço da lua
Que estava na minguante.
Que susto! *
Coitado!
*Não ficou claro se o carvoeiro levou um susto com medo que o astronauta caísse da lua na minguante ou se foi por causa das condições que encontrou a filha, ou pelos dois fatos. Se alguém tiver essa indispensável informação, por favor, comentário no blog para que possamos informar aos nossos prezadíssimos leitores. Obrigado pela atenção.
Constatação XXV
Tentei resolver
Uma equação.
Não deu por matemática,
Nem por informática.
Aí recorri à gramática,
Mas não deu no particípio
E cheguei à conclusão
Que não havia solução.
A equação insolúvel,
Irresolúvel,
Por princípio,
Se referia
A uma gata,
Ingrata
Que eu a havia
Lançado
Na mídia
E, depois que venceu,
Com perfídia,
Qual um político,
Me esqueceu.
O fato apocalíptico
De ela girar em torno
Do seu próprio umbigo
Me deixou morno,
Prostrado.
Achei, de tudo, o fim
Coitado!
De mim...
Constatação XXVI (De outros diálogos conjugais).
Disse a mulher, lendo o jornal: “Avião da Gol atola no aeroporto Santos Dumont do Rio de Janeiro”.
Disse o marido sem tirar os olhos da televisão que apresentava Real Madrid x Barcelona: “Ainda bem que não atolou em pleno voo”.
Disse a mulher: “Obrigado pela sua proverbial atenção a minha pobre pessoa”.
Disse o marido: “Não há de quê, minha querida!”
Constatação XXVII
Deu, certa vez, na mídia: “A fazenda Neverland, na Califórnia, que pertence a Michael Jackson, poderá ser embargada e levada a leilão, caso o pop star não pague uma dívida de 25 milhões de dólares”. Taí uma notícia que foi de transcendental importância para o futuro da Humanidade, exceto para quem teve interesse em comprá-la, o que não foi o caso deste assim chamado escriba que, como é sabido, vive em Curitiba. Apenas, por isso...
Constatação XXVIII
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão; “Líder do PT quer a demissão de Levy, Cardozo e Mercadante”.  Data vênia, como diria nossos juristas, Rumorejando também quer.  Só que juntamente com os demais...
Constatação XXIX
Deu na mídia, mais precisamente no Estadão, que o programa do PMDB, apresentado na televisão, surpreendeu os líderes petistas, já que se notou claramente o rumo que os partidários do PMDB estão tomando com relação ao apoio que não está mais sendo dado ao governo, inclusive fazendo coro ao eventual impeachment da presidente (a). Lá pelas tantas se informa que o Sr. Michel Temer tomou uma posição de estadista. Data vênia, como diria nossos juristas, mas Rumorejando acha que o estadismo de brasileiros só ocorreu por algum membro do Itamarati. Jamais debutou por nossas plagas. Isto faz lembrar que, quando criança, a gente numa discussão dizia: “Se isso é fato, minha vó é bicicleta”...

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico tateia; pobre, passa a mão.
Constatação II
Rico é sensível; pobre, é impassível.
Constatação III
Rico é ativo; pobre, é sonolento.
Constatação IV
Rico tem humor; pobre é embotado.
Constatação V
Rico emite uma aura; pobre é apagado.
Constatação VI
Rico tem destreza; pobre é devagar.
Constatação VII
Rico mostra o caminho; pobre é claudicante.
Constatação VIII
Rico é impetuoso; pobre é trôpego.
Constatação IX
Rico está aberto a novas ideias; pobre é emburrado.
Constatação X
Rico é veloz; pobre vive quase parando.


Nenhum comentário: