quarta-feira, 11 de novembro de 2015

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
E como dizia aquele professor de português: “A acção para a adopção da nova ortografia, nos países de língua portuguesa é óptima”.
Constatação II
Não se pode confundir patrimonialismo que é “a falta de distinção entre patrimônio público e privado” com patriotismo, até por que por falta de patriotismo, acrescido de honestidade sujeita a chuvas e trovoadas quando o caso vai para Justiça de certos países, faz o fato ser caracterizado por evidente patrimonialismo. A recíproca é mais que verdadeira, mormente em certos países que utilizam os paraísos fiscais...
Constatação III
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Itaú Unibanco tem lucro líquido de R$ 5,945 bilhões no terceiro trimestre deste ano”. “[...] De janeiro a setembro, o lucro líquido do Itaú foi a R$ 17,662 bilhões”.  Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, sem sentir inveja de quem quer que seja, acha que a distorção de renda em nosso país é pura questão de retórica (Rico usa de retórica; pobre, enrola). Dúvida crucial: Alguém acredita que algum dia haverá mudança nas condições para que os ricos paguem alíquotas do imposto de renda maior do que a classe média paga? Se há, Rumorejando ofertará um par de asas iguais as dos anjos...
Constatação IV
Diz a sabedoria popular de “Quem não tem padrinho, morre pagão”. Saiu dia 3 de novembro próximo passado no Estadão: “Conselho de Ética facilita escolha de relator pró-Cunha”. “Dilma encaminhará a Renan defesa das contas”. O jornal dos Mesquita deve ter esquecido de acrescentar nas duas notícias ‘Viva nóis’... Ah, Rumorejando ia esquecendo: “E viva também o corporativismo”... Mormente o dos de bom caráter...
Constatação V (De uma dívida crucial).
Será que o IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística têm dados estatísticos, por extrato social, do que se roubou e se rouba, em nosso país? Quem souber a resposta, por favor, informar a Rumorejando, a fim de que se possa mensurar e comparar quantas escolas, hospitais dariam para se fazer com os montantes levantados e informar aos nossos prezados leitores. Obrigado pela atenção.
Constatação VI (Elementar, ainda que meio confusa).
Quem estuda cálculo infinitesimal e integral se vê as voltas com a expressão y =f(x), que se lê como y é igual a uma função de x. Feito esta assertiva, passamos a seguinte digressão: Os escoteiros têm como norma fazer pelo menos uma boa ação todos os dias. Os judeus religiosos têm algo semelhante que se chama mitzve (mandamento; boa ação). A única diferença é que o calendário judaico é lunar, portanto tem 354 dias do ano, que é corrigido através de uma espécie de mês bissexto. Assim, as boas ações dos judeus são em menor número do que dos escoteiros. Como se pode constatar, certas funções são dependentes do tipo de calendário que se utiliza. Portanto y, no caso, número de boas ações será também função do sol, da lua e, claro, da boa vontade dos simples e complexos mortais. Vige!
Constatação VII
E como dizia a Da. Tatua para o seu maridão, o respeitoso senhor Tatu: “É fogo morar aqui no porão da caverna. Vê se arruma um lugar melhor para a gente morar”. Coitada!
Constatação VIII
Já não existe mais a história de que futebol se ganha no campo, jogando. Há a guerra de nervos; buzinaço na madrugada no hotel onde estão hospedados os adversários para atrapalhar o sono deles; machucar o adversário que é a estrela do time; provocar o adversário com palavras para que a reação faça com que ele seja expulso. Comprar juiz e por aí afora; De racismo, nem falar. Pena!
Constatação IX
Rumorejando está preparando a edição de novos livros que provavelmente deverão ser publicado em 2016. Vale lembrar que o primeiro livro foi ilustrado pelo amigo Claudio Seto, infelizmente já falecido, intitulado Rimas Primas & Outras Constatações. Quando já havíamos conversado sobre a possibilidade dele vir a ilustrar um eventual novo livro, como efetivamente foi possível lançar (150 Sonetos e 1 Sonetão), Claudio Seto veio a falecer. Se o terceiro e demais for realmente publicado, será, mais uma vez, com a respectiva homenagem a este grande e inesquecível artista.
Constatação X (Diálogo entre sogra e genro. Vige!).
-“Você poderia agora me levar no supermercado?
-“Agora eu não posso porque estou ocupado. Mais tarde, eu lhe levo”.
-“Mas eu quero ir agora”.
-“Agora eu já lhe disse que não posso”.
-“Poder, você pode. Mas você não quer porque você me odeia”.
-“Por favor, pare com esse papo. Na verdade, não morro de amores pela senhora, mas não a odeio. Agora, se ficar insistindo, acabo odiando”.
-“Tá bom, então, quer dizer, tá ruim, quer dizer... tá ruim mesmo”.
Constatação XI
Nos Estados Unidos ele era conservador. Não que pertencesse ou fosse simpático ao partido republicano. É que trabalhava numa fábrica de conservas. Apenas isso.
Constatação XII
O grande Amigo Roberto Muggiati lançou, há poucos anos, cá na terra, seu último livro Improvisando Soluções – o jazz como exemplo para alcançar sucesso. O Muggiati foi colega desde os tempos do ginásio e, na época, já fazia editorial para a Gazeta do Povo, suscitando a admiração dos colegas e professores.
Constatação XIII (Quadrinha para ser recitada para a maioria dos políticos).
Com o salário que vocês se acostumaram de faturar
Daria para construir hospitais e salvar muitas vidas.
Mas, além de não se importarem, querem mais ganhar.
E acham que as fortunas que auferem são justas e devidas.
Constatação XIV (Quadrinha para ser recitada em festinha infantil de menina, onde menino não participa).
Eu, minhas amiguinhas com as bonecas
Fomos brincar de fazer visitas e tomar chá.
Só que não havia para todas nós canecas.
Tivemos que tomar de latinha guaraná.
Constatação XV
Não se pode confundir omitir com mentir, muito embora omitir não deixa de ser uma forma de mentir, o que alguém poderá contestar, alegando que a omissão da verdade não tem nada a ver com mentir. Entretanto, em época de eleições, o que é dado a ver é as duas formas dos políticos utilizarem.
Constatação XVI (De uma dúvida crucial, via pseudo-haicai).
O vivaldino
Sempre se faz
Ser um cara fino?
Constatação XVII (De outra dúvida crucial, via pseudo-haicai).
A castidade
Provoca
Ansiedade?
Constatação XVIII
E como se vangloriava para a amiga aquela amazona que já havia ganhado vários prêmios com seu cavalo:
Que destreza!
Domei o meu marido.
Rédea curta.
Na verdade,
Com um pouco de açoite,
Porém com piedade
Mas sem dar moleza.
Ficou uma beleza!
Dócil e querido
Ele não se furta
Em me obedecer
E cumpre toda noite
Com o seu dever*...
*Não ficou muito claro qual o dever do coitado do marido. Segundo fontes não reveladas, parece que se trata de lavar a louça do jantar. Rumorejando está providenciando a imprescindível averiguação. Tão logo tenha a efetiva resposta, dará a conhecer aos seus prezados leitores. Aguardem, pois...
Constatação XIX (De mais uma dúvida crucial via pseudo-haicai).
O basofo*
Tem m. na cabeça
Como estofo?
*Basofo = “Regionalismo: Guiné-Bissau, Cabo Verde”. “Que se preocupa com sua apresentação, com seu trajar; vaidoso e também fanfarrão”. (Houaiss).
Constatação XX (Tempos de crise).
Deu a maior barafunda
Quando o marido passou-lhe a mão,
Como costumava fazer amiúde,
Alegando simples questão de saúde
Ela, a mulher, ficou meditabunda
Ele estranhou
E perguntou:
“Ao invés de estar se alegrando
Você deve estar pensando
Como vamos pagar a prestação?”
Constatação XXI (Diálogos conjugais meio repetitivos).
-“Eu trouxe uma broa fresca pra você”.
-“Você sabe que eu gosto de broa dormida”.
-“Não seja fresca e coma a broa fresca. Broa dormida pode estar com pesadelo na hora e pode afetar a tua digestão”.
Constatação XXII
No livro do escritor Israel Yoshua  Singer – mentor e irmão do mais moço Isaac Bashevis Singer, este ganhador, em 1978, do Prêmio Nobel de Literatura –, intitulado De um mundo que não mais existe, ainda inédito no Brasil, ele escreve sobre sua vida e de seus familiares. Nesta sua biografia, relata, na sua infância, o quanto ele almejava a liberdade de correr pelos campos, nadar, juntamente com as demais crianças no rio Vístula, ou brincar as brincadeiras de criança. No entanto, seu pai que era rabino e queria que ele também viesse a ser, obrigando que ele fosse estudar a Torá.
Hoje em dia, gostariam que os filhos estudassem, desde cedo para, mais tarde, enfrentar o famigerado vestibular, logrando aprovação nas universidades federais, onde o ensino é grátis. Se não for possível, jogador de futebol, dependendo do talento, é uma das profissões altamente renumeradas. E, desde cedo, muitos pais matriculam seus filhos em escolinhas de futebol. Sinal dos tempos...
Constatação XXIII
E já que falamos no assunto, deu na mídia: “Dunga revela que não tem medo de pressão na seleção”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, como tantos, tem medo do valente indômito, destemido Dunga no comando da dita cuja.
Constatação XXIV (Quadrinha de sete [septinha?] em homenagem a um dos municípios paranaense um tanto quanto surrealista).
Sentado diante do mar,
Embevecido pelo fluxo
E refluxo
Da maré,
Esqueceu-se de levar
A cachorra pra passear
A pé,
De disco voador,
De caminhão,
De furgão
Ou de vapor,
Ali, em Marechal Mallet.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico sofre de ginecofobia*; pobre, apanha da cara-metade.
* “Medo doentio à mulher; ginofobia” (Houaiss).
Constatação II
Rico vaticina; pobre, roga praga.
Constatação III
Rico acorda cedo; pobre perde a hora.
Constatação IV
Rico nada na academia; pobre rema no seco.
Constatação V
Rico trabalha só em um expediente; pobre faz hora extra.
Constatação VI
Rico pratica o fisiculturismo; pobre tem que fazer fisioterapia.
Constatação VII
Rico tem boas recordações da infância; pobre, recorda o seu trabalho infantil.
Constatação VIII
Rico é janota; pobre se veste com camiseta, calça brim coringa e sandália de dedo.
Constatação IX
Rico, em São Paulo, torce para o São Paulo; pobre, para o Corinthians.
Constatação X
Rico, em Curitiba, torce para o Atlético ou Coritiba; pobre, para o Paraná.
E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

Nenhum comentário: