quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
E como dizia aquele obcecado convencidíssimo: “Eu não tenho um passado e nem um presente de conquistas. O meu passado e presente são de conquistado. Quanto ao futuro, como a D´us, só a elas pertence”.
Constatação II (De diálogos conjugais).
O marido, já com certa idade, adentra em casa, voltando do médico, aí a esposa, vinte e cinco anos mais moça, que já estava torcendo pela sua morte, para ficar com a sua – dele – fortuna, pergunta:
-“E daí? Como foi a sua visita?”
-“Não foi muito boa. Esse médico é muito teimoso”.
-“Como assim?”
-“Ele teima muito em me manter vivo”.
-“Ah, bom, quer dizer, ah ruim, quer dizer, ah, bom, mesmo...”
Constatação III
O segundo gol do argentino  Messi, considerado mais uma vez o melhor jogador do mundo, contra o Real Madrid, em maio, quando o placar terminou 4X3 para o Barcelona, merece, como tantos outros dele e dos brasileiros Neymar, Ronaldinho Gaúcho e outros tantos, ir para a antologia do futebol. Tenho na minha abalizada e modesta opinião – me revelando o técnico número 200.000.001 do Brasil – dito.
Constatação IV
E já que falamos no assunto, será que o Messi não gostaria de vir jogar no meu Paraná?
Constatação V
Sob a ótica de um assaltante que, nos dias de hoje, atiram e matam sem pestanejar com a maior tranquilidade, se ele não cometer um latrocínio, será que ele vai achar que salvou uma vida?
Constatação VI
Essa foi contada numa roda, na Boca Maldita*, por um amigo: “Vejam vocês o que me aconteceu. Eu comecei a enticar** com a minha mulher e ela levou a sério, dizendo que eu estava pegando no pé dela. Pouco depois ele me disse uma incongruência e eu retruquei um tanto quanto acerbamente e completei, dizendo ‘quem diz o que quer, ouve o que não quer’. E novamente ela se queixou que eu estava pegando no pé dela”. Aí o filósofo da roda enunciou do alto da sua não reconhecida sapiência: “Esses dois casos relatados, poderiam ser classificados como exemplo de complexo de perseguição, acrescido de tentativas recíprocas de despotismo caseiro”.
*Boca Maldita = Local situado no centro da cidade de Curitiba onde se reúnem pessoas, em sua quase totalidade homens, para ‘jogar conversa fora’.
**Enticar = Verbo transitivo indireto.
1. Brasil. Prov. port. Açor. Mexer com alguém por prevenção; implicar; provocar, aborrecer, importunar (Aurélio).
Constatação VII
Ponderava, numa outra roda, também na Boca Maldita e em outro horário, o obcecado convencido que não tem nada a ver com outros obcecados:
“Existem mulheres lindíssimas, que a gente não se cansa de olhar, mas que não têm finura”.
“Existem mulheres que não são lindíssimas, mas têm finura que a gente não se cansa de apreciar”.
“Existem mulheres que não são lindíssimas e não têm finura que cansam a gente tanto em um caso como no outro”.
“Existem mulheres que são lindíssimas e têm finura. Essas a gente até poderia pensar em casar, dependendo da situação financeira do pai delas”.
“Mutatis mutandis, para o meu caso, a modéstia e a humildade me impedem que eu classifique a mim mesmo...”
Constatação VIII
Desde 2002, quando Rumorejando apresentou pela primeira vez as suas previsões para aquele ano, passou a repetir no início dos anos subsequentes as mesmas previsões. A intenção seria de mostrar aos leitores que, vai ano e vem ano, as barbaridades se repetem, mormente, aquelas perniciosas que revelam o mau-caratismo dos políticos e governantes. Se os prezados leitores quiserem se manifestar com relação às mesmas previsões para 2016 nas de 2002, apresentadas a seguir, logo abaixo, tendo em vista a piora dos índices de violência, de corrupção e assim por diante, poderá se manifestar que terão suas observações, publicadas na coluna.

PREVISÕES APRESENTADAS NO ANO DE 2002.
Rumorejando, ao contrário de alguns futurólogos, em boa parte picaretas (quem não se lembra de Herman Kahn que, na época da ditadura, previu determinada situação para o Brasil que desagradou os governantes de plantão e o instaram para que alguns de seus índices econômicos apresentados – ruins, é claro – fossem mudados no que, pasmem, foram atendidos), apresenta suas previsões para 2002 *, solicitando ao leitor que no final desse ano confira o nosso percentual de acerto que, desde já, afirmamos, sem falsa modéstia, que será de 100%. Vamos às previsões, pois:
1.     A televisão brasileira continuará, inexoravelmente, a baixar o seu padrão cultural, se é que ainda isso é possível;
2.     Algum “pai da pátria”, ao ser flagrado em algum deslize grave, alegará que tudo não passa de maquinações de seus adversários políticos e/ou que estão querendo desestabilizar o regime democrático tão penosamente alcançado;
3.     Latifundiários, com mais áreas de terras do que vários países juntos continuarão afirmando que o MST é baderneiro;
4.     Um jogador e/ou técnico de futebol, ao ser entrevistado, após a derrota do seu time, dirá que “vamos corrigir os erros, levantar a cabeça e procurar melhorar para os próximos jogos”.
5.     Os governantes continuarão a utilizar a máxima, ou melhor, a mínima de “aos amigos: tudo; aos indiferentes: a lei; aos inimigos: bulhufas”.
6.     Ocorrerão terremotos, secas e inundações em algumas partes do mundo;
7.     O Brasil continuará se entregando à tutela do capital estrangeiro não mais sob a denominação pejorativa de entreguismo, mas de globalização;
8.     Em certos países, serão implementadas diversas CPI’s, sendo que, algumas, fatalmente terminarão em pizza. Outras serão desmanteladas pelo governo sob a alegação de que o fato acarretará desgaste junto aos credores externos e aos pretensos investidores;
9.     Um figura proeminente morrerá alhures; uma figura proeminente nascerá alhures e, lá pelo ano de 2050, ocupará cargos relevantes em seu país ou também alhures.
10.  Novos desvios de recursos serão descobertos nos diversos Poderes da República, tanto no âmbito federal, como Estadual e Municipal;
11.  Fundamentalistas de várias religiões pregarão que só a deles que é válida e de que há de se acabar com as demais;
12.  Nos Estados Unidos da América alguém se porá a atirar em transeuntes, alunos de escolas, trabalhadores, etc.;
13.  Ocorrerão queimas de arquivos, tanto sob a ótica de documentos como de pessoas;
14.  Na capital do estado de São Paulo o número de crimes no fim de semana continuará aumentando. Nas demais cidades do Brasil, também;
15.  No Brasil as leis permanecerão divididas entre as que pegam e as que não;
16.  A dívida brasileira, tanto interna como externa, continuará aumentando e sendo total e parcialmente impagável.
17.  Bombas explodirão em vários países. O Ira e a Eta serão responsabilizados.
18.  Os fazendeiros que mantém pessoas em regime de trabalho escravo, no Brasil, continuarão impunes por falta de provas. Também, pela mesma razão, os mandantes de assassinatos de líderes sindicais.
19.  Sinagogas e cemitérios judaicos aparecerão, em vários países, com suásticas.
20.  Israelenses e palestinos continuarão no esquema da vingança da vingança, da vingança...
21.  India e Paquistão serão a bola da vez para um confrontozinho já que não se pode quebrar a corrente de que exista paz no mundo, nem que seja por um segundo.
22.  Objetos não identificados serão vistos no céu e não deixará de haver afirmações oficiais dizendo que se trata de ilusão de ótica coletiva e coisas desse jaez.
23.  A privatização continuará, trazendo em seu nojo, digo bojo, piora nos serviços e mais desemprego.
24.  Este assim chamado escriba continuará, inutilmente, procurando alguém que lhe ganhe no jogo de truco.
25.  O time do Paraná, que é o da preferência deste anteriormente denominado escriba, a fim de não esperar como o Atlético 16 anos, após o Coritiba, para ser o vencedor do Campeonato Nacional, fará ingentes esforços para conseguir o mesmo intento sob a alegação de que se eles podem, nós também podemos e, patrioticamente, devemos.
26.  A revista Playboy convidará uma atriz famosa para posar nua na revista.
27.  Os novos computadores tornarão os do ano anterior obsoletos.
28.  As eleições trarão muitas surpresas, como por exemplo, candidatos prometendo aquilo que todos estão carecas de saber que não irão cumprir.
29.  A recessão mundial trará dissensões familiares. Lamentavelmente.
30.  Os atores brasileiros continuarão a dar show de interpretação como já vêm fazendo no teatro, cinema e na televisão.
31.  Os motéis continuarão faturando alto, já que ninguém é de ferro.
32.  Os juros continuarão altos, consequentemente os bancos continuarão a ter grandes lucros. Também por não colocarem mais caixas, a fim de aumentar ainda mais os lucros, bem como a fila, composta de pessoas jovens e idosas.
33.  Algum político, usando da sua indefectível retórica e empulhação, dirá que já somos um país do 1o Mundo.
34.  A lavagem de dinheiro deverá receber inovações de ordem tecnológica.
35.  As companhias de aviação terão enormes prejuízos.
36.  A Petrobrás pretenderá diminuir os acidentes com vazamentos de óleo. Rumorejando estima em 10% a diminuição em relação ao ano de 2001.
37.  O Apagão ensejará aumento da população.
38.  O salário mínimo de R$200,00 será considerado pelo governo como um salarião. Os desafios para que os ditos governantes experimentem viver com tal salário serão elegantemente e educadamente recusados.
39.  O sequestro dará a impressão que foi institucionalizado.
40.  Ao invés de um bonde, como era comum no tempo desse transporte coletivo, alguém comprará um terreno na lua.
* Apenas algumas por falta de espaço.

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é senhor de si; pobre, é mascarado.
Constatação II
Rico tem amizades; pobre, cúmplices.
Constatação III
Rico é provador; pobre, é cobaia.
Constatação IV
Rico faz luxo; pobre, frescura.
Constatação V
Rico fica enfermo; pobre, fod, digo, doente.
Constatação VI
Rico polemiza; pobre, é respondão.
Constatação VII
Rico é cauteloso; pobre, é irresponsável.
Constatação VIII
Rico desafia a sorte; pobre, perde sempre.
Constatação IX
Rico é predestinado; pobre, desestimulado.
Constatação X
Banqueiro rico não tem piedade; banqueiro pobre, não existe.


Site: www.rimasprimas.com.br00,01 - a corrupção
00,02 - a impunidade
00,03 - a violência urbana
00,04 - a ameaça da volta da inflação
00,05 - a quantidade de impostos que pagamos sem ter nada em troca
00,06 - o baixo salário dos professores e médicos do estado
00,07 - o alto salário dos políticos
00,08 - a falta de uma oposição ao governo
00,09 - a falta de vergonha na cara dos governantes
00,10 - as nossas escolas e a falta de educação
00,11 - os nossos hospitais e a falta de um sistema de saúde digno
00,12 - as nossas estradas e a ineficiência do transporte público
00,13 - a prática da troca de votos por cargos públicos nos centros de poder que causa distorções
00,14 - a troca de votos da população menos esclarecida por pequenas melhorias públicas (pagas com dinheiro público) que coloca sempre os mesmos nomes no poder
00,15 - políticos condenados pela justiça ainda na ativa
00,16 - os mensaleiros terem sido julgados, condenados e ainda estarem livres
00,17 - partidos que parecem quadrilhas
00,18 - o preço dos estádios para a copa do mundo, o superfaturamento e a má qualidade das obras públicas
00,19 - a mídia tendenciosa e vendida
00,20 - a percepção que não somos representados pelos nossos governantes 00,01 - a corrupção
00,02 - a impunidade
00,03 - a violência urbana
00,04 - a ameaça da volta da inflação
00,05 - a quantidade de impostos que pagamos sem ter nada em troca
00,06 - o baixo salário dos professores e médicos do estado
00,07 - o alto salário dos políticos
00,08 - a falta de uma oposição ao governo
00,09 - a falta de vergonha na cara dos governantes
00,10 - as nossas escolas e a falta de educação
00,11 - os nossos hospitais e a falta de um sistema de saúde digno
00,12 - as nossas estradas e a ineficiência do transporte público
00,13 - a prática da troca de votos por cargos públicos nos centros de poder que causa distorções
00,14 - a troca de votos da população menos esclarecida por pequenas melhorias públicas (pagas com dinheiro público) que coloca sempre os mesmos nomes no poder
00,15 - políticos condenados pela justiça ainda na ativa
00,16 - os mensaleiros terem sido julgados, condenados e ainda estarem livres
00,17 - partidos que parecem quadrilhas
00,18 - o preço dos estádios para a copa do mundo, o superfaturamento e a má qualidade das obras públicas
00,19 - a mídia tendenciosa e vendida
00,20 - a percepção que não somos representados pelos nossos governantes

Nenhum comentário: