quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
A palestra
Foi um soporífero
Quando o conferencista,
Nada frutífero,
Nada de aproveitável falou
Depois de uma horinha
Só dizendo abobrinha
E demonstrou
Ser bairrista
E segregacionista
Aí, expressou
O seguinte:
“E pra terminar” –
O que fez a plateia vibrar,
Já que não podia mais aguentar –
“Caras senhoras, paciente ouvinte”
E discorreu
Mais uma hora
Extra.
Uma senhora,
Que não parava de suspirar,
Interrompeu
O orador,
No meio da sua – dele – peroração
E disse: “Sou a encarregada
De fechar
O salão.
Tome a chave-mestra
Já que estamos, agora,
Só nós dois
E eu tenho que ir embora,
Caso contrário
Perco minha condução
Do último horário.
E o senhor,
Ao se retirar,
Por favor,
Chaveie a porta, depois,
Obrigado”.
Coitado!
Coitado?
Constatação II
Não se pode confundir confundido com contundido, muito embora tenha muito jogador que, para ganhar tempo, faz cera, se fingindo de contundido, deixando o juiz confundido. Enquanto isso, o time que está perdendo fica fod, digo aborrecido.
Constatação III
Juras de amor
Eles trocaram
Com muito ardor
“Até a eternidade”.
Vinte anos depois
Surgiram as mazelas,
Com elas,
As querelas.
Brigaram.
De dia e até meia-noite
As desavenças,
Entre os dois,
Só eram ofensas,
Agressões verbais,
Piores do que com açoite,
Viraram
“Feijão com arroz”,
Tal a periodicidade,
Que redundaram,
Como jamais.
Bem maiores que os carinhos,
Benzinhos, amorzinhos
Anunciados,
Proferidos,
Ditos,
Trocados.
Coitados!
Constatação IV
Foi o seno que perguntou com ar de superioridade pro co-seno “tem variado muito pra menos um, ultimamente? Comigo, isso não tem acontecido. Modéstia a parte, só tenho variado para mais um”.
Constatação V (De uma quadrinha para ser recitada em certos países).
O político caradura,
Que se apropria do dinheiro público, preso ele não vai.
É que ele adquire pra sempre um alvará de soltura,
Já que ele balança, balança, mas não cai.
Constatação VI
Não se pode confundir barra com berra, muito embora tenha muita esposa que quando berra, com razão ou não, é porque a barra pra cima do marido tá pesada e, em alguns casos, pesadíssima. Coitado!
Constatação VII (Ah, esse nosso vernáculo).
A Paula, paladina do estudo, atina, que levou pau no exame da língua latina, enquanto lava, paulatina, a tina.
Constatação VIII
O tenor bigodudo
Soltou um agudo
O que foi considerado
Grave e destoante
Naquele instante.
Coitado!
Constatação IX
A polenta
Tava suculenta;
O feijão
Muito bom;
A salada
Bem condimentada
O repolho,
Refogado,
Com molho,
Tava bem temperado;
A sobremesa
Uma beleza.
Aí ela falou:
“Se você terminou
De comer
Pode desaparecer.
Já comeu até demais.
Outrossim,
Nunca mais
Apareça
E me esqueça”.
Coitado!
De mim.
Constatação X (De um comentário um tanto quanto arbitrário de um(a) aluno(a) medíocre).
O estágio
De docência
Não admitia
Indolência.
Por tal,
Nele havia
Inserido
Um sentido
De indecência,
Um presságio
De uma imoral
Excrescência
Tanto sob a ótica,
Antipatriótica,
Nacional,
Como a psicótica
Estadual
E a esclerótica
Municipal.
Constatação XI (De elucubrações sensoriais trigonométricas meio confusas).
As emoções são
Como um senoidal
Carimbo:
Algumas te enlevam,
Sem conexão
Ou baldeação,
Ao limbo;
Outras, infinitamente,
Ao inferno tangencial,
Ou co-tangencial,
Elas te levam;
Aos insensíveis
Elas, fatalmente,
São impossíveis
De existir.
A eles nem dissuadir
Ou persuadir
Daria para interferir,
Interagir,
Tão-somente.
Constatação XII
E como filosofava o obcecado: “Paris induz ao amor. Tá impregnado no ar que lá se respira. Minha querida Balsa Nova, também. Vá alguém entender a intrincada alma urbana...”
Constatação XIII
“Desembucha,
Desentupa”,
Disse a assim chamada,
Por ele, de megera, de bruxa.
“Teu mutismo
Me preocupa”,
Quando ele chegou
De madrugada,
Todo desleixado,
Com bafo de onça
Trazendo, como se fosse um trabalho,
Uma geringonça
Que guardava um baralho
Com marcador de truco.
E ele pensou:
“Que totalitarismo,
Que fundamentalismo!
Daqui a pouco ela amansa,
Depois da tempestade
Vem a bonança”.
Na verdade
Ele ganhou uma vassourada
Na moleira
“Vou fazer de você suco,
É pra não fazer mais besteira.
Seu desclassificado,
Mal-ajambrado,
Mal-agourado”.
Coitada!
Coitado!
Constatação XIV (Reminiscência).
No meu tempo – expressão que denota que estamos ficando velho ou envelhecendo (rico é idoso; pobre, é velho) o futebol era jogado num 4 2 4, onde o alfo esquerdo e o meia-direita faziam o meio de campo e, é bom que se diga, davam conta do recado. A marcação era homem a homem: o centro-avante era marcado pelo beque (hoje zagueiro) central, os alfos direito e esquerdo marcavam os pontas esquerdo e direito e assim por diante. Os pontas corriam pela linha de fundo e centravam. O centroavante e o meia-esquerda eram os artilheiros (hoje matador). Dificilmente, um jogo terminava zero a zero. Ninguém jogava na retranca. Bons tempos!
Constatação XV (De conselhos úteis via pseudo-soneto. De nada!).

Regime para emagrecimento

O que te deixa eufórico
Frequentemente é a ingestão
De um produto calórico
Sem mensuração.

Depois vem o arrependimento
Ao verificar teu peso na balança
Aonde eu tava com a cabeça naquele momento?
Foi pras cucuias emagrecer a tua esperança.

Por isso, caro leitor e cara leitora
Trate de se controlar pra manter a linha
Feche a boca e a caixa de Pandora*

Procure sempre ficar com estômago meio vazio.
Não abra a geladeira nem passe pela porta da cozinha
Coma muita sopa de vento e pastel de assobio.
*A caixa de Pandora é uma expressão muito utilizada quando se quer fazer referência a algo que gera curiosidade, mas que é melhor não ser revelado. (Google).

Constatação XVI
Deu certa vez na mídia:  “A ministra do Interior da Grã-Bretanha, Jacqui Smith, se desculpou por ter pedido ao Parlamento reembolso de despesas com um serviço de televisão que incluía filmes pornográficos vistos por seu marido”. Data vênia, como diram nossos juristas, mas Rumorejando acha que tal pagamento com os cofres públicos não é grave. Se o marido recarrega a bateria em usufruto da ministra, ela, assim, poderá desempenhar bem melhor o seu papel no governo e trabalhar diligentemente e mais feliz em pról dos cidadãos ingleses. Coitada!
Constatação XVII
E como ponderava didaticamente aquele economista obcecado já idoso: “Os benefícios do uso de viagra, cialis e levitra, que por sinal o preço anda pela hora da morte, não se recomenda pra ser canalizados, literalmente, em usufruto da legítima. É uma pura questão de otimizar o custo/benefício...”
Constatação XVIII
Deu certa vez na mídia: “MIAMI - Um ‘lugar relaxante, calmo, lindo’, opinião da atual Miss Universo, Dayana Mendoza, da Venezuela, que visitou Guantanamo, a base naval norte-americana no leste cubano”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando, que já escutou de uma pessoa que não gostou de Paris, a capital do amor, porque tinha muito cocô de cachorro na rua, acha, respeitosamente, que tem (des)gosto pra tudo...
Constatação XIX
Ela me olhou de soslaio
Quando a convidei pro motel
Que por pouco não tive um desmaio
“Só vou a tal lugar se for com um donzel”*.
*Donzel = “que é puro, sem mácula; virginal” (Houaiss).
Constatação XX
“Pra começo de conversa,
Em princípio,
Você é do passado
E do particípio
Não tergiversa”,
Disse a gata
Pro idoso
Que fazia voltas,
Todo cerimonioso,
Em torno dela
Qual uma lemniscata*,
De Bernouilli
Que tem a forma,
Segundo se informa,
Não da nota mi ou si,
Mas de um oito deitado,
Por sinal
Mais bonito
Do que o visual
De infinito,
Provocando nela
Revoltas.
Coitado!
*Lemniscata = “lugar geométrico dos pés das perpendiculares traçadas de um ponto fixo às tangentes de uma hipérbole equilátera em relação ao seu centro”. (Elementar, meus prezados leitores).
Constatação XXI
Não se pode confundir preço com preso, muito embora se comente por aí que para não continuar preso existe relacionado um preço. Isso acontece apenas em certos países...

DÚVIDAS CRUCIAIS TAMBÉM VIA PSEUDO-HAICAIS E VIA DUPLO PSEUDO-HAICAI.
Constatação I (Via duplo-haicai).
Solicitude,
Nos dias de hoje,
Virou excesso de atitude.
No trânsito caótico
Tá difícil gentileza
Tá todo mundo neurótico.
Constatação II (Pseudo-haicai).
Me deu uma amnésia:
Onde mesmo fica a Rodésia
E a Polinésia?
Constatação III
Foi o parafuso que perguntou para a chave de parafusos: “Querida, você não vai me atarraxar, hoje?”
Constatação IV (Pseudo-haicai).
“Somente com a verdade,
Nós temos compromisso”,
Disse o político com serenidade?
Constatação V
Será que para beneficiar os pobres, como nos últimos tempos foi propagado pelas presidências da nossa República o custo da corrupção e a quebra do país compensou o presumido bem efetuado?
Constatação VI
E já que falamos no assunto, vale lembrar que, em certos países a redistribuição da renda não é feita dos mais ricos para os mais pobres. Basta ver o balanço trimestral dos bancos, por exemplo. É feita por órgãos do governo para empreiteiras, normalmente com sobrepreços e destes para os corruptos. Depois, para tapar os déficits, oriundos dos preços elevados corrigidos através de adendos aos contratos e outros artifícios venha a tapar os déficits dos órgãos do governo, consequentemente do país, mudando-se as alíquotas do imposto de renda, aumento dos impostos, sobrecarregando a classe média que é a grande pagadora dos impostos, já onerada pela inflação que esteja vigendo. Os ricos, ora os ricos... Deixa pra lá... Idem os corruptos?
Constatação VII (Três dúvidas cruciais via pseudo-haicai que já estavam elaboradas antes de começar o campeonato, sem imaginar que em cinco partidas o Paraná obteria 100% de aproveitamento. Por enquanto...).
Será que o meu Paraná
Não acha um Ronaldo mesmo gordo
Para vir jogar por cá?

E o Pelé mesmo septuagenário
Será que não poderia vir jogar
Naquele que foi o antigo Ferroviário?

E não daria pra ressuscitar
O falecido centroavante Izaldo
Pra no Paraná vir cabecear?

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico, pro imposto de renda, junta documentos; pobre, é isento.
Constatação II
Rico é benigno; pobre, é indigno.
Constatação III
Rico tem comportamento irrepreensível; pobre, indefinível.
Constatação IV
Rico tem boa performance; pobre, mau desempenho.
Constatação V
País rico faz intercâmbio; país pobre, escambo.


Nenhum comentário: