quarta-feira, 25 de maio de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
Mais de 45.000 pessoas estiveram presentes na Arena do Clube Atlético Paranaense, cá em Curitiba, para assistir o UFC 198. Inclusive, até então, amigos meus. A Humanidade é insolúvel. Dentre ela, ex-amigos meus. Não posso ser amigo de quem vai ver luta de qualquer espécie. Tampouco de touradas, de briga de galo e por aí afora. Tenho lamentavelmente dito!
Constatação II (Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Sósia fará plástica no nariz para ficar mais parecida com a ‘diva Anitta’”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a cidadã já poderia aproveitar e fazer uma plástica também no cérebro. Vige!
Constatação III (Nada a ver com a frase de Maria Antonieta, que perdeu a cabeça quando contestou quando lhe disseram que o povo não tinha pão com a seguinte resposta: “Se eles não têm pão que comam brioche”.).
Não se pode confundir brioche* com broche**, até por que, quem, num assalto, ficar com o broche da assaltada corre o risco, se for pego, ir para a cadeia com nenhuma probabilidade de ser servido, por mordomo de libré, com caviar, brioche, champanhe veuve cliquot e outros quitutes e bebidas consideradas nobres.
*Brioche
 [Do fr. brioche.]
Substantivo masculino.
1. Culinária. Pãozinho muito fofo, feito de farinha de trigo, fermento, manteiga, sal e ovos (Aurélio).
**Broche = Substantivo masculino.
1. Adorno de metal e/ou pedraria, provido de alfinete e fecho, que as mulheres usam como joia, geralmente ao peito, em lapela, ou para prender peças de vestuário (Aurélio).
Constatação IV
Na USP – Universidade de São Paulo, alguém escreveu um grafite*: “Se você quer aumentar as vagas no vestibular, mate um oriental”, fazendo alusão à inteligência de japonês, chinês, coreano, etc. que são em grande número de aprovados. Há muitos que dizem algo semelhante, dizendo: “Japonês burro e/ou vagabundo nasce morto”. Data vênia, como dizem nossos juristas, mas Rumorejando acha que, em certos países, político honesto também nasce morto. Vige!
*Grafite =2. Palavra, frase ou desenho, geralmente de caráter jocoso, informativo, contestatório ou obsceno, em muro ou parede de local público (Aurélio).
Constatação V
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Henrique Meirelles quer idade mínima de 65 anos para aposentadoria do INSS”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que seria melhor que, ao invés de 65 anos, o ideal para o país seria de 100 anos para os homens e 90 para as mulheres. Concomitantemente, seria de bom alvitre que os senadores obtivessem a aposentadoria vitalícia deles, ao invés de 8 anos, como é o caso que está vigendo para eles agora, que passe para 4 ou menos. Quanto a CPMF, a sua adoção se faz necessária imediatamente, porquanto a carga tributária em nosso país não está alta. Com relação ao imposto de renda, a Receita Federal não envia ao banco que o usuário escolheu para fazer o pagamento em parcelas e depois quer cobrar juros e multa, alegando que o usuário tinha de ir checar se a parcela havia sido enviada ao banco ou não. Provavelmente uma maneira de cobrir o rombo deixado pelo governo da presidente. Em tempo: Viva “nóis”.
Constatação VI
Em 15 de março de 1998, este assim chamado escriba publicou no jornal O Estado do Paraná, na coluna Rumorejando a seguinte constatação: “O palavrão bem aplicado, igualmente ao jogo de truco, é antiestressante”. Estava publicando aquilo que efetivamente sente. Eis que os cientistas revelaram agora que o palavrão ajuda a aliviar a dor. Quanto ao truco nada foi revelado. Ainda.
Constatação VII
No ano de 2001, os líderes do G-8 (Os sete países mais ricos do mundo + a Rússia), em comunicado conjunto no final de encontro em Genova, afirmaram que iriam incentivar “o aumento da cooperação e solidariedade com os países em desenvolvimento, baseados em principio de responsabilidade mútua, para combate à pobreza e promoção de desenvolvimento sustentável”. Recentemente foi encerrada a reunião do G8 + Rússia e, novamente, o blablablá* e o nhenhenhém** foram a tônica da reunião. E viva “nóis”.
*Blablablá = “1. conversa oca, sem conteúdo; conversa fiada; 2. exposição longa ou série de afirmações, por vezes de cunho mentiroso, de que se lança mão para mascarar o vazio do pensamento, para enganar alguém ou iludir sua vigilância”. (Houaiss).
**Nhenhenhém = “Repetição fastidiosa”. (Houaiss)
Constatação VIII (De um pseudo-soneto).

  Coitado de mim!

Durante o feriadão
Fui até a praia
Que decepção
Neca de rabo-de-saia.

Só marmanjo,
Andando de cá pra lá,
Ali não havia anjo
Tava mais pra boitatá.

Dei meia-volta
E voltei pra cidade
Cheio de revolta.

Era praia de nudista
Não havia vontade,
De ver triste vista.

Constatação IX
Em 16 de março de 2003 Rumorejando publicou na coluna o seguinte:
“Qualquer que tenha sido o tempo do seu mandato, um ex-senador e seus dependentes terão direito, até o fim da vida, a atendimento médico”. O ex também terá direito a R$10 mil por ano para tratamento dentário. Dúvida crucial: Será que esse pessoal todo não fica com nem um pingo de vergonha de gozar dessas benesses à custa do dinheiro público?” (Ver Constatação V). Agora tal excrescência, juntamente com outros fatos, está sendo novamente denunciada pela mídia. Tem gente apostando que, como sempre, passado 13 anos, vai tudo continuar como acabou: Em pizza. Pena!
Constatação X
“Data vênia”, como diz um grande amigo advogado, “mas quem quiser conhecer e entender a eternidade basta ter um processo para ser julgado”.
Constatação XI (De diálogos mercantis).
Freguesa: “Este aipim cozinha fácil?”
Feirante: “Em dez minutos ele está tão bem cozido que vai derreter na sua boca”.
Freguesa: “A semana passada o senhor me disse a mesma coisa e depois de cozinhar duas horas, o aipim que o senhor me vendeu estava mal cozido e só a panela foi que derreteu”.
Constatação XII
Deu na mídia: 'Dor da discriminação ainda é sentida na América', falou o presidente Barak Obama na centésima convenção da Associação Nacional para o Progresso dos Negros (NAACP, na sigla em inglês).  Aqui no Brasil também. Lamentavelmente. Data vênia, como dizem nossos juristas, mas Rumorejando acha que todo racista é um filho daquilo. Tenho dito!
Constatação XIII
Cada vez que os argentinos ganham do Brasil recebo de um conhecido argentino uma gozação. De nada adianta eu jamais agir que a recíproca seja verdadeira quando o Brasil ou um time brasileiro ganha da Argentina ou de um time deles. Um dia, com a vitória dos Estudiantes sobre o Cruzeiro foi a mesma coisa. Me deu vontade de tomar  um chá-argentino. Não um chimarrão, como a erva-mate, dentro de seus inúmeros nomes é conhecida COMO chá-mate, chá-do-Paraguai, chá-do-Brasil, chá-dos-jesuítas, chá-das-missões, congonha, congonha-das-missões, congonheira, erva, mate-legítimo, mate-verdadeiro e tantos outros, mas um chá de picadinho do tal conhecido argentino mesmo... Vige!
Constatação XIV
Segundo o dicionário Houaiss churchilliano é “que lembra o estilo de Sir Winston Churchill de governar, especialmente seu modo de se comunicar com o povo, autoritário e humano ao mesmo tempo”. Nas ditaduras, fica mais difícil da maneira autoritária e humana ao mesmo tempo. Aí, o lado humano vai para a cucuia. Fica só o autoritário principalmente para se manter no cargo por muitos e muitos anos...
Constatação XV

 Relacionamento Matrimonial

Ela achava o seu “sócio”
Um grandíssimo beócio
Um maior ainda capadócio
Que só queria viver no ócio.

De fato ela tinha toda razão.
O sujeito virou um poltrão
Aproveitando-se da ocasião
Em participar de uma união.

Verdade que ela era muito rica
Com cara de quem tomou arnica
E ele um pobretão, um fubica.

Com certeza ele não era jacu.
Que quis dar o golpe do baú
Pelas meiguices dela e do seu tutu...

Constatação XVI
Deu na mídia: “Pesquisa em São Paulo: Quanto maior a renda e o grau de escolaridade, menor a confiança da população na Justiça brasileira”. Inversamente proporcional, portanto. Dúvida não necessariamente crucial: Precisava fazer a pesquisa ou estava na cara o resultado?
Constatação XVII
Ela tem problema de osteoporose. O médico recomendou muito sol por causa da vitamina D. Ele, muito branco, tem problemas de pele. O médico proibiu ele tomar sol. Um amigo do casal comentou: “Casal estranho. Eles vão sempre à praia. Ela pra tomar sol; ele pra tomar sombra”.
Constatação XVIII
No dia 26-08-1998 o jornal O Estado do Paraná publicou: “Cidade do Vaticano – A iconografia cristã sobre o Paraíso está sendo contestada pelo especialista em hebraico Louiz Ginzberg, que argumenta que o fruto proibido teria sido um figo, em lugar da maça[...]. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que a notícia efetivamente não foi nem é transcendental para o futuro da Humanidade. O que foi transcendental foi o fato de terem descoberto o sexo, depois de terem comido a fruta seja ela qual seja, caso contrário a Humanidade teria terminado apenas com eles. Naturalmente, se outras providências não fossem tomadas...
Constatação XIX (De um pseudo-pseudo-soneto [Por que tem três estrofes a mais]).

     Futebol

Recua para o goleiro
O excepcional zagueiro
Que chuta a bola em seguida,
Aliviando a tensão da torcida.

A bola cai nos pés de um companheiro
Que a carrega pra frente altaneiro
Recebe o combate do adversário
Claro, durante o seu itinerário.

Com um drible meia-lua,
Tenta alcançar o seu ataque
Um deles chuta e a bola vai pra rua.

Garotos que ali estavam sem entrada
Pra ver de fora algum lance de destaque
Pegaram a bola e iniciaram uma pelada.

Dentro do campo o jogo estava tão ruinzinho
Que as duas torcidas saíram de fininho.
E foram assistir os garotos. Quanto craque!

Constatação XX
E já que falamos no assunto, quantas partidas ruins você assiste, prezado leitor, até ver uma que tenha valido a pena? Cartas pelo correio eletrônico. Obrigado.
Constatação XXI (De um epitáfio).
Aqui jaz um valente
Que, ironia do destino,
Morreu de tanto batente.


quarta-feira, 18 de maio de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma dúvida crucial).
É bom lembrar ao novo presidente da República em exercício que se não houver nem ordem nem progresso, a Progressão Aritmética será decrescente daquela Ordem e Progresso que consta na nossa bandeira, que os positivistas sugeriram e apregoaram. Será que efetivamente haverá necessidade de lembrá-lo?
Constatação II (De outra dúvida crucial).
E já que falamos no assunto, deu na mídia: Ministério de Temer tem 12 ministros investigados na Lava Jato. Data vênia, como dizem os nossos juristas, mas, pelo andar da carruagem é falta de vontade, hoje em dia, não encontrar nomes que não estejam sendo acusados e/ou implicados com alguma acusação de fraude ou, efetivamente, é impossível? Não é à-toa que a OAB já se pronunciou a respeito. E viva “nóis” quer dizer eles... Vige!
Constatação III
E ainda voltando ao assunto, será que o presidente da República não se deu conta que o país quer ser passado a limpo, principalmente para àqueles que tenham limpa a sua ficha, não aceitando propinas como recursos para se eleger, ou por que sim e tá acabado, e/ou para atender interesses das empreiteiras que, evidentemente, fazem o que fazem a fim de cobrar, de alguma forma, reciprocidade? S. Excia., até agora, mostrou apenas que respeita o nosso vernáculo. Os que foram para as ruas, clamando por ética e moral não estão sendo atendidos. Lamentável.
Constatação IV (De mais uma dúvida crucial).
Deu na mídia: “Temer resolve cortar 10 Ministérios”. Sóóóóó? E os que sobrarem? Efetivamente, serão necessários?
Constatação V (Mais uma dúvida crucial. Vige!).
Será que os governantes, os juízes, a Sociedade em geral (OAB, religiosos, psicólogos, etc.) não se dão conta que a omissão, o não cumprimento da lei, a impunidade estimula os criminosos a agirem cada vez mais?
Constatação VI (De outra dúvida crucial).
Se o Homem foi criado à semelhança de Deus, como se propaga por aí, a opinião sobre Sua imagem como é que fica?
Constatação VII
Não se pode confundir a cantora Madona com maratona, até porque vai ser uma maratona, Madona manter sua – dela – popularidade com os fãs com a chegada de Beyonce e outras se despindo cada vez mais. Vige!
Constatação VIII
A execrável censura realizada contra o Estadão lembrou a fábula de Esopo (Phaedrus) O lobo e o cordeiro, ou o indefectível “O senhor sabe com quem está falando” e coisas desse jaez.
Constatação IX
“Na gafieira,
Segue o baile calmamente”,
Diz a canção.
No Senado,
Por todo o lado,
Só se ouviu, recentemente,
Uma profusão de besteira
Entremeada de palavrão.
Constatação X (De velhos tempos quando a gente costumava abotoar o cabelo atrás e deixar um topete como o Elvis Presley e mais tarde como um presidente da República do nosso país).
O barco descia
Na corredeira
Do rio Iguaçu.
Dava tanto solavanco
Que a gente se sacudia
No banco
E tanto molhava
A cabeleira,
Da água que espirrava,
Que até não adiantaria
O uso de “glostora” e xampu.
Constatação XI
Deu, certa vez, na mídia: Casa Branca prevê déficit de US$ 9,05 trilhões em 10 anos”. Este assim chamado escriba que trabalhou boa parte da sua vida – que nem por isso deixará de ser eternamente curta – no Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A. – Badep, antiga Codepar, acostumado a ouvir falar de repasses, investimentos e financiamentos de expressivas cifras, confessa que não sabe contar até lá. Mas que é um baita* número, ainda que bem menor do que a atual dívida brasileira, isso lá deve ser.
*Usamos a expressão “baita” porque somos educados como é sobejamente reconhecido por nossos prezados leitores.
Constatação XII (Pseudo-soneto da série Ah, o amor...)

      Da arte do beijo.

Lábios nem sempre carnudos
Também são feitos para beijar
Os casais, nessa hora, ficam mudos,
Efetivamente, não vale a pena falar.

Beijo na bochecha ou selinho
É tênue e rápido demais
Dá impressão de não haver carinho
Entre os desvelados casais.

Beijo que é recomendável
E premonição de algo notável
É o que tira a respiração.

Se for de língua melhor ainda
Nessa benfazeja hora infinda
Que não enseja anúncio de solidão...

Constatação XIII
Não se pode confundir sanefa, que o dicionário Houaiss, entre outros, dá comolarga tira de tecido que se coloca na parte superior da cortina ou reposteiro, nas vergas das janelas etc., geralmente rematada com franja ou galão” com safena, a veia que se usa para substituir por alguma outra que esteja entupida, para se fazer uma ponte, “by-pass”, etc. Até porque uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, como já foi propalado por aí.
Constatação XIV
E também não se pode confundir loquacidade com louca cidade, até porque a loquacidade dos prefeitos, visando melhorar o tráfego nunca é posto em marcha e transitar ou atravessar as ruas fica difícil, pois se tem a impressão que se vive numa louca cidade.
Constatação XV
E ainda não se pode confundir libertinagem, que o dicionário Houaiss dá como “licenciosidade de costume, conduta de pessoa que se entrega imoderadamente a prazeres sexuais; a prática do libertinocom libidinagem, que o mesmo dicionário, dentre outros, define como “qualidade, condição ou comportamento próprio do que ou de quem é voluptuoso, lascivo, sensual”, até porque o referido dicionário ainda define libertinagem, no sentido figurado, como “insubmissão, indisciplina”. Elementar, crianças!
Constatação XVI
Disse o obcecado para o amigo, mostrando uma foto da Playboy duma “poupança” de uma gatona: -“preferência multinacional”. Respondeu o amigo: -“Por que multinacional se a turma define como nacional?” –“Porque eu sempre procuro ser original. E, além disso, depois da globalização, ainda existe empresa nacional no nosso país?”
Constatação XVII
“Desprazerosa
A tua companhia”,
Disse a sogra pro genro,
Nada amorosa.
Numa cantilena
Sem melodia,
Fazendo cena.
“Você não é tenro
Com a tua mulher.
Trata, a pobre,
Como uma qualquer.
Não trata como o finado
Me tratava,
Como se eu fosse nobre.
O tempo todo ele me paparicava.
Você não dá a ela atenção.
Só fica vendo televisão,
Ou fica no computador.
E as tuas juras de amor?
Seu vento virado*.
Coitado!
*Vento-virado = “prisão de ventre, constipação” (Houaiss).
Constatação XVIII (Quadrinha para ser recitada por quem da Prefeitura Municipal cuida do calçamento das ruas).
Numa pedra dei uma topada
Que estava solta na calçada.
Por isso, quase fui para o chão.
Me equilibrei qual um avião.
Constatação XIX (De outra quadrinha para ser recitada por quem quiser e onde quiser).
Novo governo, nova esperança,
Quem espera nem sempre alcança.
E o famigerado aumento de imposto
Não será falta de bom-gosto?
Constatação XX (De mais uma quadrinha. Essa assaz assustadora. Vige!).
Ressuscitar o CPMF;
Congelar os salários.
Ideias de salafrários.
O pior que não é blefe.
Constatação XXI
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo: “Novo namorado de Suzane von Richtofen é evangélico e admira Silas Malafaia”. Até que enfim, uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade. Vige!
Constatação XXII
Quem não conhece as músicas de outrora de Paulinho da Viola não sabe das coisas. De modo geral, todas antológicas. Tenho dito e me pronunciado com conhecimento de causa!
Constatação XXIII
Não se pode confundir cartilha que é o livro para se aprender a ler com quadrilha, que quer dizer bando de ladrões, assaltantes ou malfeitores, até por que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa. Elementar minha gente!
Constatação XXIV
Não se pode confundir ético* com cético**, até porque tem uma profusão de governante que é cético com relação ao que é ético...
*Ético = Adjetivo.
1. Antrop. Diz-se de categorias e valores utilizados na descrição e análise realizadas pelo observador, e que não correspondem, necessariamente, àqueles que vigoram na sociedade ou cultura em estudo. [O termo passou a ser empregado, na antropologia, por analogia com seu uso original na linguística.]
2. E. Ling. Diz-se da maneira de estudar ou abordar elementos linguísticos que leva em conta sua substância, i. e., seus aspectos acústicos e articulatórios, e não seu funcionamento dentro de um sistema específico de unidades distintivas dotadas de significado (Aurélio).
**Cético = Que duvida de tudo; descrente (Aurélio).
Constatação XXV
E já que falamos em “descrente”, vale lembrar a canção de muito sucesso no passado, intitulada Ninguém me Ama, de autoria de Antonio Maria e Fernando Lobo que foi cantada, dentre outros por Clara Nunes, Maria Creuza, Nora Ney, Nana Caymmi e o americano Nat King Cole, que transcrevo para os milhares – para não dizer milhões, já que a modéstia me impede – de leitores. Quem quiser escutar é só entrar no Google. De nada!

       Ninguém me ama

Ninguém me ama, ninguém me quer
Ninguém me chama de meu amor
A vida passa, e eu sem ninguém
E quem me abraça não me quer bem

Vim pela noite tão longa de fracasso em fracasso
E hoje descrente de tudo me resta o cansaço
Cansaço da vida, cansaço de mim
Velhice chegando e eu chegando ao fim.

Constatação XXVI (Quadrinha para se recitada em hospitais do SUS).
Espera-se um largo tempo, um tempo insano,
Para fazer uma operação que requer urgência.
Se o cara morre, o governo alega inocência.
E se julga ser sempre um bom samaritano.
Constatação XXVII (Quadrinha modesta para conhecimento de quem assim duvidar).
Até hoje não encontrei adversário
Que me ganhe no jogo do truco
O pobre do perdedor se sente maluco
E até perde o seu itinerário.

RICOS & POBRES.
Constatação I
Rico é coadjuvante; pobre, só atrapalha.
Constatação II
Rico norteia a sua vida e dos seus; pobre, vive desorientado.
Constatação III
Deputado e senador rico votam pelo impeachment; deputado e senador pobre, não existem.
Constatação IV
Rico dispõe de tudo; pobre, eventualmente, do entrudo.
Constatação V
Rico, quando fala, usa estrangeirismo; pobre, caipirismo.
Constatação VI
Rico cultua a humildade; pobre é metido.
Constatação VII
Rico tem paixão pelos livros; pobre soletra.
Constatação VIII
Rico resiste; pobre, conspira.
Constatação IX
Rico é poderoso; pobre, é dispensável.
Constatação X
Rico é sensível; pobre, é intolerante.


quarta-feira, 11 de maio de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I
E como se justificava o obcecado, diante dos comentários dos amigos que ele sempre estava malvestido: “Não é a roupa que faz a pessoa. Eu conheci muitas mulheres inteligentes e cultas quando elas estavam totalmente sem nenhuma”.
Constatação II (De uma dúvida crucial).
Se a fórmula química da água é H2O, a fórmula do fogo é 1/H2O (Um sobre H2O)?
Constatação III (De outra dúvida crucial).
Ao revogar sua própria decisão, como presidente interino da Câmara Federal, que anulava a votação dos deputados federais a favor do impeachment da presidente da República, o deputado Waldir Maranhão deu por fim aos seus cinco minutos de inglória?
Constatação IV (De uma terceira dúvida crucial).
A Progressão Geométrica é comadre da euclidiana, da analítica e da espacial?
Constatação V (De mais uma dúvida crucial).
A Pílula de Vida do Dr. Ross morreu?
Constatação VI
O médico mandou
Ela fazer uma dieta,
Mas ela se revoltou.
Ao invés de obedecer
Desbragadamente passou
A comer
O triplo da meta
Recomendada.
Finou.
Coitada!
Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelas mamães).
Vai dormir menino sapeca
Amanhã tem que ir à escola
E no recreio jogar bola
Pra não ser um Juca, digo, Jeca.
Constatação VIII
Não se pode confundir açulou que o dicionário Houaiss dá como 1.incitar (cão) para que morda, ataque ou se porte agressivamente (contra).
transitivo direto e bitransitivo
2.Derivação: por extensão de sentido.
provocar em (alguém) irritação, agastamento (contra); enfurecer, exasperar
com azulou, que o mesmo dicionário diz, dentre outros 3. Regionalismo: Brasil. Uso: informal. Pôr-se em fuga, retirar-se em debandada; fugir, escapar, até porque se um cão, açulado, ou não, vier em sua direção com ares indistintos e, se der no jeito, a melhor coisa é azular.
Constatação IX
“A tua prima escorregou
Quando me encontrou
E na bochecha me beijou”,
O marido explicou
Quando a mulher encontrou
Baton na sua gravata.
“Deixe-se de lorota!
Prefiro que você me conte
Alguma bravata.
Afinal, é inesgotável tua fonte.
E a marca da bochecha não se nota.
Seu mentiroso,
Metido a talentoso
Seu descarado,
Seu safado!”
“Se eu não a tivesse segurado,
Ela teria se esborrachado
Na calçada”.
Coitada!*
Coitado!
*Não ficou devidamente esclarecido à qual das duas se refere à expressão “coitada”. Tão logo Rumorejando tome conhecimento dará ciência aos seus prezados leitores.
Constatação X
O septuagenário, quase octogenário, não conseguia entender porque os atendentes esboçavam um sorriso – quando não, um riso – e iam falar com o gerente, pedindo esclarecimentos, quando ele estacionava no posto de gasolina e pedia: “Me encha o tanque com um hectolitro de gasolina comum”; quando no armazém pedia um decagrama de queijo e mais ou menos um decímetro de salame e um galão de manteiga. E, na casa de tecidos, 100 polegadas de determinado pano. Coitado!
Constatação XI (Pseudo-soneto, da série Ah, o amor...).
         
               Ternura

Olhos nos olhos e de mão dadas
O casal idoso senta na praça.
Será que ele diz piadas?
Ela ri. De alguma graça?

Súbito, ficam sérios
Se beijam como antigamente.
Afinal, não há mistérios
Em se beijar de modo ardente.

Agora, ela apoia a cabeça no seu ombro.
E ele beija os seus brancos cabelos.
Para quem passa, nenhum assombro.

Os vizinhos já estão habituados
Com essa sucessão de doces desvelos
Só os de fora ficam com olhos arregalados.

Constatação XII
Com a absolvição do ex-ministro do então deputado federal Antônio Palocci pelo Supremo Tribunal Federal, deu, certa vez, na mídia: “O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso será o único a responder a ação penal por suspeita de participação na quebra do sigilo bancário e na divulgação dos dados do caseiro Francenildo dos Santos Costa”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que o ex-presidente da Caixa quis fazer média, na época, com o então ministro Antonio Palocci. Ver a constatação seguinte.
Constatação XIII
Não se pode confundir costura com postura, até porque quando o garotão costura no trânsito, porque tem pressa, mesmo sem não ter nada a fazer, pondo em risco a sua vida e de outros, e porque assistiu a vitória do seu – dele – ídolo na Fórmula I, está tendo uma postura digna de ser enquadrado como qualquer simples mortal, obviamente exceto deputados, senadores, ministros, juízes e desembargadores de um país de alhures.
Constatação XIV
Um otimista sempre vai achar que o Paraná volta para a Primeirona do Brasileirão; o pessimista, que ele cai para a Terceirona; o realista que ele deverá continuar na Segundona. Esta parece ser a mais provável. Triste sina...
Constatação XV
Não se pode confundir provisão com profissão, muito embora muitos políticos fazem de seus cargos uma profissão, recorrendo a alguma provisão de numerário, não necessariamente honesta, independentemente de seus estratosféricos salários.
Constatação XVI
Não se pode confundir colunável (Quem aparece nas colunas sociais [e/ou policiais]) com colimável (passível de se ter em vista; pretenso), até porque nem sempre é possível obter o objeto, pessoa ou coisa que se deseja por meios lícitos, ou não, com o fito de passar a ser colunável. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho democraticamente dito!
Constatação XVII
Parcos pode ser substantivo ou adjetivo; porcos, também. Mas nem por isso devem-se confundir uns com os outros.
Constatação XVIII
Deu, certa vez, na mídia: “Eu achei o pedido da ministra incabível”, disse a ex-secretária da Receita Federal Dilma Vieira se referindo a então Ministra Dilma Roussef. Taí mais uma expressão sendo inaugurada em depoimento. E a sua utilização, embora soe estranha, está correta. Igualmente como foi a de outro ministro que usou o “imexível”. A utilização de ambas é infrequente (epa...).
Constatação XIX
Também deu, certa vez, na mídia: “Esse pessoal do PT que votou a favor do Sarney para presidente do senado agora tenta justificar o voto (“Obedeci ordens porque sou homem do partido”), para estar bem com todos”. Os nazistas também, segundo eles, obedeciam a ordens. Já, naquela, estava na hora do pessoal do PT se dar conta de quem bate o escanteio não consegue também cabecear. A falta de caráter acabou virando pandemia...
Constatação XX
Disse a mulher na praia para o marido: “Pare de olhar para essas meninas todas”.
Disse o marido: “Não sou eu que estou olhando pra elas. São elas que estão olhando pra mim. Como você já deve ter se dado conta, no meu caso específico, charme não se compra em farmácia”.
Contestou a mulher: “Mas xarope, sim”.
Constatação XXI
Uma livraria cá de Curitiba colocou junto a sua placa indicativa uma máxima, atribuindo sua autoria ao grande escritor gaúcho, meu guru, Mário Quintana: “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas; os livros mudam as pessoas”. A autoria da frase é contestada. Segundo os entendidos ela foi proferida pelo romano do século II a.C. Caio Graco. Rumorejando gostaria de receber informações dos seus leitores a respeito. Muito obrigado.
Constatação XXII
Travado
Pelo zagueiro,
De gol com gana e sede,
O artilheiro
Chutou-o e também a bola.
Esta quicou
Como se tivesse cola
E ficou
Ali ao lado.
O coitado do zagueiro,
Ao ser chutado,
Voou
Raspando o travessão.
Acabou
Estatelado
Na rede
Onde se emaranhou
Na maior contusão.
Coitado!
Constatação XXIII
Nada de ladainha!
A credibilidade
Da Situação
E da Oposição
Tá um caco.
Na realidade,
Eles sempre foram farinha
Do mesmo saco.
Constatação XXIV (Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade).
Deu na mídia, mais precisamente no site da Globo, publicado da revista Vogue: “Camila Alves ostenta decote poderoso em evento beneficente”. Data vênia como diriam nossos juristas, mas Rumorejando confessa que só conhecia decote generoso. O mencionado, para quem viu, além de estar, para quem é pudico, por um fio, para “mostrar demais” é poderoso, provavelmente por àquela razão, ou seja, mostrar demais. Vige!
Constatação XXV
Deu na mídia: “Presidente da Inguchétia retorna dois meses após atentado”. E Rumorejando que achava que seus conhecimentos de geografia estavam em dia. Inguchétia?
Constatação XXVI
E como dizia o obcecado para a solteirona convicta, parodiando o antigo partido União Democrática Nacional - UDN (“O preço da liberdade é a eterna vigilância”): “O preço da ignorância é a eterna vigilância. E o preço da vigilância é a eterna ignorância”.
Constatação XXVII
E já que falamos no assunto da incompreendida liberdade, o livro Poemas para a Liberdade, do escritor Manoel Andrade, catarinense radicado em Curitiba, publicado em vários países da América do Sul, saiu em português, pela Editora Escrituras de São Paulo, numa edição bilíngue. Leitura obrigatória, como diriam os críticos.
Constatação XXVIII
O livro do meu grande amigo Valdir Izidoro Silveira, Escritos de Resistência – Quatro Décadas de Reflexão é leitura obrigatória para quem quer tomar conhecimento de nossa história e da luta do escritor em defesa das injustiças sociais. Rumorejando, respeitosamente, recomenda.
Constatação XXIX
Será que a presidente Dilma Roussef se sofrer, ou ganhar, ou lhe ser imputado o impeachment vai ter que recorrer ao seguro desemprego? Quem souber responder a resposta, por favor, comentários no blog. Obrigado!

RICOS & POBRES
Constatação I (Com os agradecimentos ao amigo, o professor de Educação Física, Personal training e Fisioterapeuta João Paulo de Andrade Alarcão. Apareça, menino!).
Rico tem escápula; pobre paleta.
Rico tem gastrocnêmio; pobre, batata da perna.
Rico tem patela; pobre, rótula.
Constatação II
Rico sempre seus ganhos dobra; pobre, soçobra.
Constatação III
Escritor rico é vocabularista; pobre, sensacionalista.
Constatação IV
Rico ganha abastança*; pobre, perde a esperança.
*Abastança = substantivo feminino.
1. Provimento satisfatório ou suficiente.
2. Excesso de provimentos e haveres; abundância, riqueza.
3. Vida segura, confortável, sem privações ou problemas de subsistência (Houaiss).