quarta-feira, 8 de junho de 2016

RUMOREJANDO

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.
Constatação I (De uma dúvida).
Quando o ancião leu na mídia, mais precisamente no site da Globo, que a ex-BBB Adélia havia feito operação plástica para diminuir a bochecha, elucubrou lá com os seus botões e fechos éclair: “se fosse o caso inverso, ou seja, aumentar as bochechas e para tal tivesse que acrescentar tirando parte do ‘assentador’, ela não correria o risco de ficar com cara de bun, digo, de quem tá com vontade de sentar?
Constatação II
Tem gente que encobre
De já ter sido nobre
Quando descobre
Que não é mais rico, é pobre.
Constatação III
Enquanto ela rebolava
Num sensual saracoteio,
Por causa de comentários libidinosos
Que se referiam aos seus dotes apetitosos,
O marido, vexado, incomodado,
Se meteu num sururu
Onde muita rasteira,
Muita bordoada rolava,
Por baixo, por cima e pelo meio,
Além de golpes de capoeira,
Que doía mais que rabo-de-tatu.
Coitado!
Constatação IV
Foi a massa de ar quente
Que disse pra frente fria,
Demonstrando alegria:
“Vamos criar uma chuvinha
Grossa ou fininha
Ou se você quiser um furacão
Com relâmpago e trovão”?
Constatação V
Foi uma picuinha,
Uma questiúncula
Ou uma boutade
A pergunta pro rei
Da magra rainha:
Perdoai-me, Vossa Majestade,
Segundo eu sei,
Não deveis
Esquecer
Que os reis
Não devem cometer
Nunca um pecado,
Mormente o da gula.
Coitado!
Constatação VI (Ah, esse nosso vernáculo).
Os noivos para cortarem o bolo do casamento, cortaram um doce.
Constatação VII (De conselhos úteis).
Não deve ter uma namorada
Quem sofre de ronco na barriga,
Pois pode assustar a coitada
E o bem-bom redundar em briga.
Constatação VIII
Ríspido, ele foi considerado,
Apenas por falar mal da sogra
Ao considerá-la não mais que uma ogra.
Ele só havia dito a verdade. Coitado!
Constatação IX (Dúvida crucial, com rima não apelativa e passível de mal-entendido).
O rechonchudo
E a rotunda
Rolaram e fizeram de tudo,
Merecendo uma tunda?
Constatação X
Quando um médico começa a ficar enfermo (Rico fica enfermo; pobre, doente), ele perde a credibilidade dos seus pacientes ou estes consideram a máxima de que “casa de ferreiro, espeto de pau”.
Constatação XI
Quem é bitolado só vislumbra uma única solução, ou nenhuma, diante de um problema, mesmo que neste haja inúmeras variáveis.
Constatação XII
Diz a sabedoria popular que “quem não chora, não mama”. Já no caso de político, chorando ou não, mama...

Constatação XIII (De um pseudo-soneto).

     O ócio é imprescindível?

O condenável caçador de dotes
Que vivia até com puídas calças
Recebeu, do pai da noiva, potes
De uma bolada de notas falsas.

A atitude fez nele um ressentimento,
Mas como a noiva era muito querida
Pesou o custo/benefício do casamento
E pensou: “Vamos enfrentar a nova vida”.

Aí, acabou engolindo o fel do veneno.
Sempre acaba existindo uma boa mulher,
Atrás de um homem grande ou pequeno.

Rejeitou do sogro uma oferta de emprego
Que disse que trabalhar se faria mister.
“Afinal, tenho que preservar o meu sossego”.

Constatação XIV
Vai começar o debate,
No horário político,
Terrível e execrável,
Eivado de duvidança
E desesperança.
Prepare-se para ouvir disparate
E argumento nada analítico.
Bem melhor ouvir criança
Incluso na linguagem tatibitate.
Constatação XV
Certa vez, depois de uma rara vitória de Rubinho Barichello, em Monza, o piloto brasileiro, por quem a gente torceu e sofreu, afirmou e reafirmou que o momento é manter o pé no chão. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando achou que seria melhor e mais importante, no caso, manter o pé no acelerador. A propósito das poucas vitórias de Rubinho, vale lembrar que Arquimedes proferiu: “Dai-me uma alavanca e um ponto de apoio que eu moverei o mundo”. Pelo jeito, Rubinho poderia dizer: Dai-me um bom carro na Fórmula I que eu poderei ser o campeão do mundo...
Constatação XVI (Teoria da Relatividade para principiantes).
É muito melhor o nosso time fazer um gol com a mão e o juiz validar, ainda que a gente fique morrendo de vergonha, do que o nosso time sofrer um pênalti e o juiz não marcar.
Constatação XVII
Não se pode confundir barulho com baralho, muito embora no jogo de truco que é jogado com baralho e que onde este assim chamado escriba não encontra adversário, quem faz muito barulho, às vezes, ganha o jogo...
Constatação XVIII
O detetive
Particular
Contratado
Pra seguir
E flagrar
Um marido,
Acostumado
A desmando,
A trair,
Levou
Azar:
Desligado,
Ficou
Caído,
Ferido
Quando
Escorregou
Num declive
E tropeçou
Num aclive.
Coitado!
Constatação XIX
Em baixa estava
O posudo*.
E se achava
Sortudo.
E que estava
Com tudo.
*Posudo = Adjetivo.
Substantivo masculino.
1.  Bras. Gír. Que ou aquele que faz ou tem pose; que é cheio de pose (Aurélio).
Constatação XX (De um pseudo-soneto).

         Desavenças

Apresentou uma lista pra ele:
Iria ter que dormir no paiol
E que ela não era seu lençol
E que não tinha pena dele.

Ele ficou muito triste e azedo,
Dormir naquela espécie de macega
Ali, seria difícil uma simples esfrega,
E viu que era sério, não era brinquedo.

Foi consultar uma benzedeira
Dizendo que teria de ficar no estaleiro
E desfilou sua choradeira.

Como era época de intenso nevoeiro
Poderia pegar uma friagem, um resfriado.
E jamais acontecera com algum antepassado.

Constatação XXI
Foi a tartaruga
Mesmo afrouxando o passo,
Que chegou ao destino
Com o sol a pino,
Na casa do namorado
Cansada,
Cheia de ruga,
Um bagaço?
Coitada!
Coitado!
Constatação XXII
Quando meu celular me chama, eu já sei quando é a minha sogra que está chamando. O celular não tilinta, nem vibra. Ele vocifera, esbraveja, impreca, rosna.
Constatação XXIII
Certa vez, quando o presidente da República era o Lula, ele mostrou a intenção do Brasil de comprar aviões de combate na França, sem levar em conta as ofertas da Suécia e dos Estados Unidos. Assim, o nosso país contaria, dentre outros, com o apoio da França para o Brasil fazer parte do Conselho de Segurança da ONU. Este negócio do Brasil ser membro do Conselho de Segurança, desde o tempo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sempre me deixou e deixa numa dúvida crucial que me faz relembrar com o seguinte fato, já contado na coluna: Em 1970, este assim chamado escriba estava estagiando na França, mercê de uma bolsa de estudos, oferecida pelo governo francês. Aproveitando as curtas férias nas festas de fim de ano, resolvi conhecer Londres. Chegando a este país, me dirigi às informações turísticas, em busca de um hotel barato. À atendente, com cara de enfastiada, perguntei: “Do you speak french?” O francês era minha língua estrangeira mais fácil para me fazer compreender e entender. E ela, me olhando de alto a baixo, com desprezo: “What for?” (Para quê?)
Constatação XXIV
Com relação à constatação anterior, talvez a gente estivesse por fora. Quando o presidente Lula disse, no dia 7 de setembro, que o Brasil iria comprar os aviões da França ele, apenas, tão-somente, não queria impressionar a mulher do presidente Sarkozy, madame Carla Bruni, que pelos seus dotes mereceu e merece os encômios respeitosos de todos?
Constatação XXV (De um estulto perfil).
Era um borra-tintas*,
Um exímio sarrafaçal**,
Metido a dar fintas.
Um insigne boçal.
*Borra-tintas = Substantivo de dois gêneros e de dois números. Bras. S.
1. Pessoa que pinta mal; borrador, troca-tintas.
2. P. ext. Mau profissional; oficial imperito; sarrafaçal (Aurélio).
**Sarrafaçal = “1. indivíduo inútil, preguiçoso”.
2.profissional inapto” (Houaiss).
Constatação XXVI
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “O Brasil perdeu completamente os limites da ética”. Quem proferiu a frase foi o ex-presidente José Sarney se referindo a
delação premiada, na Lava Jato do senhor Sergio Machado, ex-presidente da Transpetro, que gravou conversa com a alta liderança do PMDB: o ex-presidente José Sarney, com o senador Romero Jucá e com o atual presidente do Senado, Renan Calheiros, dentre outros ligados ao partido. Segundo o senhor Sergio Machado mais de 70 milhões foi repassado para eminências do partido.
Data vênia, como diriam nossos juristas, porém Rumorejando acha que, em certos países, não só os corruptos são os outros, como também os que faltam com a ética...
Quanto a moral, Rumorejando ainda não pode detectar, a fim de poder informar aos seus prezados leitores. Tão logo possua dados a respeito, dará conhecimento a todos os interessados. Se houver, é claro...
Constatação XXVII (Quadrinha para ser recitada em determinadas reuniões).
Numa reunião de muito ‘politiquinho’,
Havia um que era essencialmente honesto.
Ele se sentiu como se tivesse fora do ninho.
“É. Essa gente toda vai achar que só eu presto”.
Constatação XXVIII
Este assim chamado escriba, todo sábado pela manhã, quando vai ao Passeio Público, onde se realiza a Feira de Produtos Orgânicos, costuma filar um chimarrão do amigo Marfil, um dos feirantes. O chimarrão, naturalmente com erva-mate orgânica, é feito com capricho, a preceito e é excelente o seu gosto. Mas, a fim de enticar com o amigo Marfil, o assim chamado escriba, costuma, em quaisquer circunstâncias, dizer que o chimarrão está ‘execrável’, mencionando que a água está fria, ou o mate está lavado, ou a erva é velha.
Bem, deu na mídia: ‘Execrável’, diz defesa de Sarney, o advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, sobre seu delator da Lava Jato que acusou o ex-presidente de ter levado 20 milhões de reais da empresa Transpetro, de propriedade do Sr. Sérgio Machado. Cabe agora a pergunta: “Marfil, mano velho, você andou oferecendo chimarrão para eles?”
Constatação XXIX
Deu na mídia, mais precisamente no site do Estadão: “Sem cargos no governo, aliados de Temer ameaçam se rebelar”. Gente fina é outra coisa. Pelo menos poderiam não negar que não querem cargo algum. Seria apenas mais uma mentirinha dentre tantas. Vige!

RICOS & POBRES
Constatação I
Rico é sedutor; pobre, é ferida.
Constatação II
Rico é encantador; pobre, é um chute no...
Constatação III
Rico abala as convicções; pobre, é desmancha-prazeres.
Constatação IV
Corrupto rico age na casa dos bilhões; corrupto classe média se conforma com milhões; corrupto pobre com uma cervejinha.
Constatação V
Rico é ilibado; pobre, censurável.


Nenhum comentário: